Cristiano Ronaldo leva a melhor em duelo com Neymar, e Real bate o PSG

Atacante português marcou dois na vitória por 3 a 1 de seu clube

São Paulo

No confronto entre a tradição e a ousadia, o Real Madrid, 12 vezes campeão europeu, venceu o aspirante a protagonista Paris Saint-Germain, de virada, por 3 a 1, nesta quarta-feira (14), no jogo de ida pelas oitavas de final da Liga dos Campeões.

A equipe francesa precisa vencer por pelo menos 2 a 0 o jogo de volta, marcado para 6 de março, em Paris, para se classificar.

Com investimentos pesados para a atual temporada, como a contratação do brasileiro Neymar por 222 milhões de euros (R$ 893 milhões em valores atuais) —a mais cara da história— o PSG viu a força do adversário nesta competição deixar sua chance de conquistar o inédito título  um pouco mais difícil.

O clube de Paris bem que tentou se impor. Fez frente ao adversário em boa parte do jogo, marcou primeiro, mas sucumbiu nos minutos finais do segundo tempo.

Tão aguardado quanto a partida era o duelo particular entre Neymar, 26, e Cristiano Ronaldo, 33. O brasileiro começou o jogo muito mais ativo que o rival, mas viu o português ser decisivo ao marcar os gols de empate e da virada.

As pretensões do camisa 10 da seleção brasileira se assemelham com as de seu clube.

O brasileiro deixou o Barcelona em busca de maior protagonismo na nova equipe. Ele sonha em conquistar o troféu de melhor do mundo da Fifa, o mesmo que Ronaldo já conseguiu cinco vezes. 

Nesta quarta, Neymar até começou melhor. 

Numa de suas primeiras chances, o brasileiro achou bom passe para Bernichiche, que chutou cruzado, levando perigo ao gol de Keylor Navas, do Real Madrid.

Cristiano Ronaldo já tinha assustado logo no início, em chute cruzado, mas parecia apagado em campo, ao contrário de Neymar. O jogador mais participativo da equipe espanhola era o lateral esquerdo Marcelo. As principais jogadas ofensivas passavam pelo seu pé. Quando não era o brasileiro o responsável pelos lances ofensivos, Isco aparecia para criar. 

EQUILÍBRIO

O técnico espanhol Unay Emery, do PSG, apostou na jovialidade do zagueiro Presnel Kimpembe, 22, e deixou o brasileiro Thiago Santos, 33, capitão do time, no banco.

Já Zinédine Zidane deixou  fora o atacante Gareth Bale e formou a linha de frente com Cristiano Ronaldo, Karim Benzema e Isco.

O trio ajudou a pressionar e dificultar a saída de bola do time visitante nos minutos inicias da partida.

A pressão não durou muito. Aos poucos, o PSG ganhava campo e conseguia assustar, principalmente com as arrancadas e passes de Neymar, que aterrorizou os defensores espanhóis atuando pelo lado esquerdo. O terceiro jogo entre as duas equipes na história da Liga dos Campeões era equilibrado. Antes, Real Madrid e PSG haviam se enfrentado durante a primeira fase da temporada 2015-2016. 

Na França, um empate em 0 a 0, já na Espanha, vitória dos donos da casa por 1 a 0, que fez com que o PSG ficasse com segundo lugar do grupo. O time francês passou pelo Chelsea nas oitavas, mas foi superado pelo Manchester City nas quartas de final, enquanto os espanhóis acabaram ficando com o título.

Desta vez, o time da capital francesa parecia que levaria a melhor. Mbappé fez jogada em velocidade e cruzou para a área. A bola passou por Cavani e Neymar e sobrou para Rabiot, livre, colocar os franceses na frente.

Mesmo errando muito, o Real não se abateu com o gol sofrido. Após escanteio, Kroos recebeu livre pelo lado esquerdo do ataque, invadiu a área e sofreu pênalti de Lo Celso. Cristiano Ronaldo bateu firme para empatar no fim do primeiro tempo.

Ao contrário de Neymar, Ronaldo voltou para o segundo tempo muito ligado e teve a ajuda das mudanças promovidas por Zidane: Asensio, Bale e Lucas Vázquez.

Em jogada de Asensio pela esquerda, o português, de joelho, virou o jogo.

Pouco depois, Marcelo, ampliou a vantagem.

Agora, resta a Neymar uma última chance de salvar os planos de seu clube na temporada. Para isso, precisará ser decisivo, como Cristiano Ronaldo.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.