Estrelas da NHL lamentam ausência nos Jogos de Inverno

Atletas de hóquei no gelo foram proibidos de disputar competição

Andrew Knoll

Nas duas últimas décadas, os jogadores da NHL (National  Hockey  League), principal liga de hóquei no gelo da América do Norte, participaram dos Jogos de Inverno. Mas este ano, eles terão um novo papel quando o torneio masculino começar, em 14 de fevereiro: serão torcedores.

Mencionando preocupações quanto a lesões, custos e o que definiu como falta de benefícios tangíveis, a liga profissional de hóquei sobre o gelo decidiu não realizar sua tradicional parada de três semanas no período olímpico e não autorizou seus jogadores a participarem da Olimpíada de Inverno de PyeongChang, na Coreia do Sul.

Para muitos dos jogadores que estiveram presentes ao All-Star Game da NHL, que aconteceu em Tampa no final de semana passado, a decepção por não poderem participar persiste, e está apenas começando a ser substituída por uma mistura de orgulho nacional e curiosidade.

Quando surgiu a notícia, fiquei bem zangado. Disse a mim mesmo que provavelmente não assistiria à Olimpíada, disse o atacante Tyler Seguin, do Dallas Stars, que provavelmente teria integrado pela primeira vez a seleção canadense. Agora que a data está chegando, percebo que continuo orgulhoso de ser canadense, e vou assistir. Mas é obvio que será uma experiência agridoce.

Sidney Crosby, central do Pittsburgh Penguins, que marcou o gol que valeu a medalha de ouro para o Canadá na Olimpíada de Vancouver, em 2010, disse ter deixado de lado a frustração e que está concentrado nas tarefas que tem a realizar em seu time.

Você vira a página, e segue adiante como todo mundo, disse Crosby, ainda que tenha acrescentado que passaria duas semanas grudado na televisão durante os Jogos Olímpicos de Inverno.

Sidney Crosby, do Pittsburgh Penguins, anda em quadra durante atividades do All-Star Game
Sidney Crosby, do Pittsburgh Penguins, anda em quadra durante atividades do All-Star Game - Jason Behnken - 27.jan.2018 /Associated Press

Alex Ovechkin, ala russo do Washington Capitals, eliminado da Olimpíada de 2010 em uma derrota para o Canadá de Crosby, não se mostra tão conformado. Ele expressou a sua decepção após a decisão ser anunciada e falou em deixar o seu time para se unir à seleção russa.

No final de semana do All-Star Game, Ovechkin alternou momentos de melancolia e irritação. No sábado (27), ele disse que algumas de suas melhores lembranças envolviam a Olimpíada.

No domingo (28), preferiu não tratar do assunto. A Olimpíada não é questão para mim no momento. Sou só torcedor, agora, disse

McDavid, 21, o melhor jogador e artilheiro da NHL na temporada passada, perderá o que teria sido sua primeira Olimpíada. Ele não consegue deixar de pensar na experiência que não terá, disse, considerando o talento esportivo que existe no planeta.

Se você pensar nos Estados Unidos, eles teriam Kane, Eichel, Matthews, disse ele se referindo a Patrick Kane, Jack Eichel e Auston Matthews. O Canadá também teria montado uma equipe muito especial. Suécia, Finlândia, pode escolher. O esporte está em ótimo momento.

Kane, ala direito do Chicago Blackhawks, expressou esperança de que no futuro seja possível montar uma seleção com os maiores talentos dos Estados Unidos. Até lá, disse que torceria pela seleção, formada por universitários, ex-jogadores da NHL e profissionais que jogam em ligas internacionais, que representará os Estados Unidos na Coreia do Sul.

Creio que seja bacana para caras que talvez tenham perdido um pouco o rumo no hóquei e que repentinamente têm uma segunda chance, ou para caras que nunca tiveram uma chance, e agora estão tendo, disse Kane.

O canadense Nathan McKinnon, atacante do Colorado Avalanche, disse que meia dúzia de jogadores que disputarão os Jogos passaram por seu time recentemente, e que os considerava todos como amigos.

Para outros, é coisa de família. Pekka Rinne, goleiro finlandês do Nashville Predators, torcerá pelo cunhado Mika Pyorala, atacante da seleção finlandesa. Henrik Lundqvist, goleiro do New York Rangers, tem um irmão gêmeo, Joel, que jogará como atacante pela seleção sueca situação que os dois irmãos costumavam fazer regulamente, inclusive no ano passado, quando ganharam a medalha de ouro no campeonato mundial.

Ele está super entusiasmado com os jogos, disse Henrik Lundqvist. Já jogou pela seleção nacional em muitas categorias e torneios, mas essa será sua primeira Olimpíada de Inverno.

O  goleiro Henrik Lundqvist, do  New York Rangers, faz defesa em jogo contra o  Buffalo Sabres
O goleiro Henrik Lundqvist, do New York Rangers, faz defesa em jogo contra o Buffalo Sabres - 28.jan.2018 - USA TODAY Sports

Lundqvist, Brent Burns, defensor do San Jose Sharks e outros jogadores lamentaram perder a oportunidade de viajar à Coreia do Sul, país que muitos deles jamais visitaram.

Crosby expressou a esperança de que a NHL participe dos jogos da China em 2022. Gary Bettman, o comissário da liga, se recusou a falar sobre essa possibilidade.

Erik Karlsson, sueco que joga como defensor no Ottawa Senators, disse que o fato de que ele e seus colegas de liga não estarão presentes nos Jogos não reduzia seu entusiasmo quanto ao evento.

Assisto à Olimpíada desde que era pequeno, disse. É algo que sempre curti assistir, tanto os Jogos de verão quanto os de inverno. Vou acompanhar com atenção, mesmo que infelizmente não estejamos lá.

Anze Kopitar, central do Los Angeles Kings e o único jogador esloveno em atividade na NHL, tem profundas conexões com a seleção de seu país, mas disse que provavelmente não ficaria acordado até de madrugada para ver as partidas na TV. Disse que seus compromissos para com os Kings e sua família teriam precedência ante acompanhar a Olimpíada.

Mas Marc-André Fleury, goleiro do Vegas Golden e antigo integrante da seleção canadense, não estava preocupado com a diferença de fuso horário de 17 horas entre Nevada e a Coreia do Sul.

É complicado, com o fuso e os jogos no meio da noite. Mas hoje temos gravadores digitais de vídeo. Tenho certeza de que o pessoal vai apostar nos jogos, e vai ser divertido acompanhar. Eu assistirei, com certeza.

Para alguns jogadores, falar da Olimpíada de Inverno não parecia divertido. Steven Stamkos, capitão do Tampa Bay Lightnings, um anfitrião sorridente e simpático durante o final de semana do All-Star Games, fechou a cara ao ser perguntado se acompanharia os Jogos.

Se não estivermos jogando e se o horário for bom, eu talvez assista algum jogo.

Stamkos, que não pôde defender o Canadá nos Jogos de 2014 por conta de uma fratura na perna, disse que os jogadores continuam desapontados e zangados, e que muitos não assistiriam por isso.

Não quer dizer que não vamos torcer; claro que torceremos, disse. Mas a situação toda deixou um sabor amargo nas nossas bocas, completou o jogador.

The New York Times

Tradução de PAULO MIGLIACCI

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.