De muletas, Neymar recebe alta após cirurgia

Jogador deve seguir para a sua mansão em Mangaratiba, município da costa verde fluminense

Sérgio Rangel
Belo Horizonte
O atacante Neymar deixou, de muletas, o Hospital Mater Dei, em Belo Horizonte.
 
Na manhã deste domingo (4), ele usou um helicóptero para chegar ao aeroporto da Pampulha, onde embarcou no seu jatinho. 
 
Apesar de não ter informado o seu destino, o jogador do Paris Saint-Germain deve seguir para a sua mansão em Mangaratiba, município da costa verde fluminense.
 
No sábado (3), o ex-santista foi submetido a uma cirurgia no quinto metatarso do pé direito. A intervenção durou cerca de uma hora e 15 minutos.
 
Ainda não foi definido quando o jogador seguirá para Paris. 
 
Segundo o médico Rodrigo Lasmar, Neymar será reavaliado em seis semanas “com exames de imagens".
 
Antes da cirurgia, Lasmar disse que o jogador voltaria aos gramados em, no máximo, três meses, próximo da Copa do Mundo, que será aberta em junho.
De muletas, Neymar embarca em avião na Pampulha, em Belo Horizonte
De muletas, Neymar embarca em avião na Pampulha, em Belo Horizonte - Paulo Whitaker/Reuters
Na cirurgia, o médico colocou um parafuso associado a um enxerto ósseo [para acelerar a recuperação] no quinto metatarso do atacante.
 
No dia 25, o atacante sofreu uma fratura no pé direito no final do clássico contra o Olympique, pelo Campeonato Francês.
 
O fisioterapeuta Rafael Martins, que é contratado pelo PSG e pela CBF, seguiu com Neymar. Ele já fez tratamento no sábado com o ex-santista.
 
O médico francês Gerard Saillant assistiu a cirurgia e disse que a “intervenção foi um sucesso”.
 
Presidente do Instituto do Cérebro e da Medula Espinhal, referência mundial em ortopedia e traumatologia, o médico fará um relatório ao Paris Saint-Germain sobre o estado de saúde do jogador.
 
No sábado, ele disse que é impossível fazer uma previsão da volta de Neymar ao futebol antes dos exames que serão feitos seis semanas depois da cirurgia.
 
Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.