Trapaça com bolas no críquete causa vergonha e punições na Austrália 

Capitão da seleção usou lixa para adulterar bola durante partida contra a África do Sul 

Homem de branco rebate bola vermelha
O jogador de críquete Steve Smith durante partida da seleção australiana contra a África do Sul - Rogan Ward/Reuters
Dennis Passada
Associated Press

As consequências do escândalo de adulteração de bolas reduziram as duas figuras mais renomadas do críquete australiano às lágrimas, na quinta-feira. Steve Smith, o capitão da seleção de críquete de Austrália, pediu desculpas à sua família e ao país, e em seguida o treinador da seleção, Darren Lehmann, anunciou sua intenção de deixar o posto.

Depois de perder a posição de capitão da seleção australiana, por conta do incidente em um "test match" contra a África do Sul, Smith voltou à Austrália e chorou diversas vezes, em uma entrevista coletiva no aeroporto de Sydney.

"Quero dizer que lamento a dor que causei à Austrália, aos torcedores e ao público", ele declarou. "É devastador, e estou profundamente arrependido".

Homem fala com cara de choro
O jogador de críquete australiano Steve Smith em entrevista coletiva no aeroporto de Sydney, após voltar da África do Sul - Peter Parks/AFP Photo

Smith começou a chorar ao assumir a responsabilidade pela adulteração das bolsas usadas em um jogo contra a seleção sul-africana na Cidade do Cabo, no final de semana passado, e refletiu sobre o efeito que o envolvimento dele no caso teve sobre os seus pais.

Horas mais tarde, Lehmann também chorou em uma entrevista coletiva em Joanesburgo, enquanto anunciava que deixaria o comando técnico da equipe australiana quando a série contra a África do Sul, marcada por hostilidades, se encerrar depois do quarto e último "test", que começa na sexta-feira. [No críquete, um "test" é um jogo em quatro "innings" (entradas) entre seleções nacionais, que pode durar até cinco dias.]

Homem com blusa azul e bone olha para frente triste
O treinador da seleção australiana de críquete, Darren Lehmann, na coletiva em que anunciou sua renúncia - Wikus de Wet/AFP Photo

"Minha família e eu sofremos muitos insultos na ultima semana", disse Lehmann, "e isso teve seu custo para eles".

"Lamento muito por Steve, que eu vi chorando diante da mídia", ele acrescentou. "Todos os jogadores estão sofrendo de verdade".

Lehmann continuou a afirmar que nada sabia sobre os planos de adulterar bolas.

As últimas 24 horas foram um período tumultuado para Smith, que teve de deixar a África do Sul em desgraça, depois de ser desligado da seleção pela Cricket Australia. No aeroporto de Joanesburgo, ele foi conduzido em seu percurso pelo terminal internacional por um grupo de até seis policiais e seguranças, e ouviu vaias e apupos da multidão, que o chamou de "trapaceiro" aos gritos.

Smith e Cameron Bancroft concederam entrevistas coletivas, dos dois lados da Austrália, enquanto o terceiro jogador envolvido no controvertido escândalo de adulteração de bolas na África do Sul —David Warner— pediu desculpas via mídia social ainda no avião, antes de chegar de volta ao país.

Warner chegou a Sydney horas depois e disse a repórteres que o momento era "difícil e emotivo".

Homem e mulher carregam crianças no colo, com outras pessoas em volta
O vice-capitão da seleção australiana de críquete, David Warner, no aeroporto de Sydney, com sua esposa e filhas - Brendan Esposito/AAP Image via AP

Warner tinha um dos filhos no colo, enquanto sua mulher segurava o outro, ao seu lado, e disse que sua prioridade era "colocar as crianças na cama, repousar e clarear a cabeça, para conversar com vocês dentro de alguns dias".

Smith, que usava um paletó esporte e parou diversas vezes para respirar fundo enquanto falava, se dirigiu aos torcedores e às crianças da Austrália, que queriam saber por que ele trapaceou.

"Primeiro, lamento profundamente. Amo o críquete. Amo que crianças queiram jogar críquete, um grande esporte, que eu amo", ele disse. "Sempre que vocês estiverem pensando em tomar uma decisão questionável, pensem nas pessoas que serão afetadas".

"Vocês afetarão os seus pais. Ver a maneira pela qual meu velho foi...", disse Smith, com uma breve pausa para chorar, "... e minha mãe. Isso dói".

Smith declarou que, como capitão da seleção australiana, precisava "assumir toda a responsabilidade".

"Cometi um sério erro de julgamento, e conheço e compreendo as consequências", ele disse. "Fracassei como líder. Farei tudo que puder para compensar meu erro e o dano que ele causou. Se o que aconteceu tiver alguma consequência positiva, espero que eu possa ser uma força para promover mudanças".

"Lamentarei o acontecido pelo resto da vida. Estou totalmente destruído. Espero que, com o tempo, possa merecer seu perdão e reconquistar seu respeito", ele disse.

Homem de branco joga bola vermelha em gramado
O jogador de críquete Cameron Bancroft durante parte da Austrália contra a África do Sul - Mike Hutchings/Reuters

Cerca de quatro mil quilômetros a oeste. Bancroft também se desculpou em tom emotivo, em Perth, e disse que sempre lamentará seu papel no episódio, que resultou em suspensões de 12 meses para Smith e Warner e em suspensão de nove meses para ele."

Não passa um segundo sem que eu deseje voltar no tempo. O que aconteceu é algo que lamentarei pelo resto da vida", disse Bancroft. "Tudo que posso fazer, por enquanto, é pedir perdão".

Bancroft só tinha jogado em oito "tests" desde que substituiu Matt Renshaw na seleção australiana. Agora Renshaw foi convocado para ocupar seu posto.

"O que parte meu coração é ter perdido meu lugar no time dessa forma", ele disse, tentando segurar as lágrimas. "As pessoas sabem o quanto trabalhei para chegar ao ponto em que estava em minha carreira, e abrir mão dessa chance é devastador".

Um investigador da Cricket Australia, a federação australiana de críquete, constatou que Warner instruiu Bancroft sobre como adulterar a bola, usando uma lixa, no terceiro dia do terceiro "test" contra a África do Sul.

Bancroft inicialmente disse ter usado fita adesiva e terra para tentar mudar a forma da bola. Mais tarde foi provado que ele usou uma lixa.

"Menti sobre usar a lixa", disse Bancroft. "A situação em que eu estava me fez entrar em pânico. Estou envergonhado por isso. Jamais tinha me envolvido em um incidente de adulteração de bolas".

O Somerset, um clube de críquete da Inglaterra, anunciou que Bancroft não seria seu jogador estrangeiro para a próxima temporada, devido ao seu envolvimento no escândalo.

capas de jornal
Jornais australianos noticiam escândalo no críquete - Peter Parks/AFP Photo

Warner, que já perdeu dois patrocinadores, postou uma declaração no Twitter e Instagram para anunciar que estava voltando da África do Sul para a Austrália, e acrescentou que "pretendo falar dentro de alguns dias".

"Foram cometidos erros que prejudicaram o críquete. Peço desculpas pela minha parcela neles, e assumo a responsabilidade por ela", ele disse. "Compreendo o incômodo que isso causou para o esporte e para os torcedores".

Smith e Warner não poderão jogar críquete nas categorias mais altas do esporte na Austrália por um ano. Também foram excluídos pelas autoridades indianas da lucrativa IPL (a liga profissional de críquete da Índia).

Smith não será elegível para o posto de capitão da seleção australiana por pelo menos dois anos, anunciou a Cricket Australia. Warner está excluído permanentemente de qualquer posto de liderança nas seleções do país.

A fabricante de material esportivo Asics cancelou seus contratos de patrocínio com Warner e Bancroft. O fabricante de eletrônicos LG anunciou na quarta-feira que não vai renovar seu contrato com Warner, que expira em breve.

Na quinta-feira, a Sanitarium, que produz cereais matinais, anunciou que estava cancelando seu contrato com Smith.

Reportagens na imprensa australiana estimam que os cancelamentos pode custam a Smith e Warner cinco milhões de dólares australianos —US$ 3,8 milhões— (cada) em patrocínios perdidos.

A Australia Cricketers’ Association (ACA) indicou a possibilidade de apelos pelos jogadores suspensos, afirmando que "há diversas anomalias claras e gritantes no processo, até agora, o que leva a ACA a questionar a severidade e proporcionalidade das sanções propostas". 

Tradução de PAULO MIGLIACCI

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.