Com falhas defensivas, São Paulo é derrotado pelo Atlético-PR

Mesmo com semana livre para treinar, equipe perde jogo de ida da Copa do Brasil

O meia Nenê, do São Paulo, lamenta a derrota para o Atlético-PR, pela quarta fase da Copa do Brasil
O meia Nenê, do São Paulo, lamenta a derrota para o Atlético-PR, pela quarta fase da Copa do Brasil - Reinaldo Reginato/Fotoarena/Folhapres
São Paulo

Sem jogar desde que foi eliminado pelo Corinthians há sete dias, o torcedor são-paulino esperava ver um time melhor em campo, principalmente na parte ofensiva. De novo, isso não ocorreu. 

Pior, a defesa que havia apresentado uma evolução— apesar do gol sofrido de cabeça de Rodriguinho nos acréscimos do segundo tempo na semifinal do Estadual —, falhou em dois lances fundamentais para a derrota para o Atlético-PR por 2 a 1, nesta quarta (4), na Arena da Baixada, em Curitiba, pela quarta fase da Copa do Brasil. 

O primeiro vacilo foi de Rodrigo Caio, que havia desfalcado o time nas três últimas partidas. Ele perdeu a disputa para Pablo e deixou o sistema defensivo aberto.  O jogador do time paranaense avançou e finalizou cruzado. 

O segundo foi uma falha do lateral esquerdo Reinaldo, que não conseguiu fazer o corte após cobrança de escanteio e deixou a bola para Paulo André, ex-Corinthians, completar para o gol. 

Se a defesa errou, o ataque continuou improdutivo. Com Nenê, Marcos Guilherme e Tréllez, o São Paulo não conseguiu criar e tampouco finalizou contra o goleiro Santos na etapa inicial.

Os visitantes apresentaram melhora logo após o técnico Diego Aguirre trocar Marcos Guilherme e Petros por Régis, recém-contratado, e Cueva, que ficou fora de três jogos após ser convocado pela seleção peruana.

Com as mudanças, o treinador uruguaio alterou o esquema tático do 4-2-3-1 para o 3-4-3. Ele havia treinado a nova formação na atividade da última segunda-feira (2). 

Com mais movimentação, a equipe conseguiu diminuir após um cruzamento de Reinaldo e conclusão de Tréllez. 

Apesar da melhora, o São Paulo não conseguiu o empate, apesar das tentativas. 

A movimentação apresentada no segundo tempo será essencial para o time conseguir reverter o placar e obter a classificação no jogo de volta, marcado para o dia 19, às 19h15, no Morumbi. 

Para se classificar, o São Paulo terá que vencer por dois gols de diferença. Se ganhar pela vantagem mínima, o classificado será conhecido nas cobranças de pênaltis. Não há gol fora de casa como critério de desempate. 

Em 2017, a equipe foi eliminada da competição na quarta fase. Caiu diante do Cruzeiro, que sagrou-se campeão da competição. O time são-paulino jamais foi campeão da Copa do Brasil.

Para reverter a vantagem, Aguirre terá uma semana para treinar. O São Paulo volta a campo na próxima quinta (12), quando enfrenta o Rosario Central, na Argentina, pela Copa Sul-Americana. 

Ele deve aproveitar para testar a formação que terminou o confronto desta noite e ainda espera contar com Valdivia, que se recupera de uma lesão muscular. 

Depois do duelo contra os argentinos, o São Paulo enfrenta o Paraná, no dia 16, na estreia do Campeonato Brasileiro, antes do jogo de volta contra o Atlético-PR.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.