Principal skatista brasileiro, Pedro Barros é pego no doping

Confederação de skate confirma resultado positivo, mas diz que atleta não violou regras

São Paulo

O skatista catarinense Pedro Barros, principal nome da modalidade no país, foi reprovado em exame antidoping, confirmou a Confederação Brasileira de Skate (CBSk).

A informação foi revelada pelo blog Olhar Olímpico, do UOL, que afirma que a substância detectada no exame é um derivado de maconha.

Pedro Barros durante treino para o Mundial de Skate
Pedro Barros durante treino para o Mundial de Skate - 7.abr.2017 - Marcelo Mug/Divulgação

Segundo o blog, o exame foi realizado pela Autoridade Brasileira de Controle de Dopagem (ABCD) em janeiro.

Outro skatista brasileiro, Ítalo Peñarrubia, também teria testado positivo. O caso dele, contudo, é diferente de Barros.

Segundo informou a assessoria de imprensa de Peñarrubia, o skatista foi vítima de um erro administrativo, pois a substância que apareceu no exame é prescrita em medicamentos de uso contínuo.

"Estes medicamentos fazem parte do tratamento terapêutico do qual o atleta está vivenciando. Vale ressaltar que doping é uma novidade para o mundo do skate, com o agravante da gestão do skate olímpico passar para a CBSK apenas em janeiro, no mesmo mês da competição, prejudicando o acesso  prévio as informações, orientações e adequação dos atletas. Italo segue com sua programação normal, se preparando para as  competições, cumprindo seus compromissos pessoais e profissionais", informou a assessoria de Peñarruibia.

A confederação afirma que a competição na qual os exames foram realizados não era oficial e, por isso, não pode dar mais detalhes.

“Os atletas já possuem advogados constituídos e diante dos fatos, dos quais a confederação foi informada, está confiante de que todos continuarão exercendo suas atividades normalmente, pois entende-se não ter havido violação à regra de antidopagem, conforme será demonstrado no curso dos processos”, afirmou a confederação em comunicado à imprensa.

O skate está se adaptando ao antidoping internacional após se tornar modalidade olímpica para a próxima Olimpíada, em Tóquio.

“A CBSK atesta que, embora seja um tema novo e ainda não muito difundido no skate, seguirá rigorosamente todas as normas exigidas pelos órgãos competentes de antidopagem em seu circuito nacional”, concluiu a entidade.

Apontado como sucessor de Bob Burnquist, Barros venceu seis medalhas de ouro no X-Games.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.