Técnico de rival do Corinthians começou no hóquei

Na modalidade, Ariel Holan, do Independiente (ARG), começou a usar tecnologia em seus times

São Paulo

Aprovado nos dois primeiros semestres do ensino fundamental, Ariel Holan foi obrigado pela mãe a repetir o curso. Segundo ela, o filho não estava maduro o suficiente para ir ao segundo ano.

Ali começava a nascer a busca do argentino Holan pelo perfeccionismo em um esporte imperfeito. Aos 57 anos, ele hoje é técnico do Independiente (ARG), que nesta quarta (18), às 21h45, enfrenta o Corinthians, em Buenos Aires, pela Copa Libertadores. 

Apesar das críticas e ironias, foi o primeiro treinador a usar tecnologia nos treinamentos no futebol do país. Como drones, para filmar as atividades de uma perspectiva aérea, e aparelhos de GPS, para medir o desempenho dos atletas durante os jogos. Chegou a ter uma equipe de 12 pessoas apenas para analisar os dados estatísticos.

“Aprendi a usar tudo isso no hóquei”, afirma o treinador, que antes de ir para o futebol, passou pelas principais equipes argentinas femininas de hóquei sobre a grama. Com a seleção uruguaia, foi medalha de bronze nos Jogos Pan-Americanos de 2003, na República Dominicana.

Técnico do Independiente, Ariel Holan gesticula na beira do gramado
Ariel Holan trabalhou com o hóquei antes de primeira oportunidade no futebol - AFP/Alejandro Pagni

Holan gosta tanto de tecnologia que em um período de desemprego vendeu o carro para comprar um computador Macintosh. Circulava com o laptop na mochila dentro dos ônibus da capital. Steve Jobs, fundador da Apple, é um dos seus ídolos. 

Ele não tem mais essa preocupação financeira porque o título da Copa Sul-Americana do ano passado, contra o Flamengo, no Maracanã, o colocou entre os principais técnicos do país. Foi o momento de glória do treinador que frequentava o estádio do Independiente desde os quatro anos, levado pelo pai.

“Ele sabe sempre o que deseja do time, onde devemos estar em qualquer situação. E quando não acontece, a bronca é certa”, afirma o veterano atacante Gigliotti, 30, contratação pedida por Holan ao assumir o comando da equipe, em 2017.

Aquela poderia ter sido a sua única temporada. Ele sofreu coação de Pablo Álvarez, o Bebote, um dos barras bravas mais conhecidos da Argentina, para dar dinheiro à torcida organizada. Segundo o líder do grupo, o dinheiro serviria para ajudar a pagar a viagem de torcedores para a Copa do Mundo na Rússia.

Bebote invadiu o carro de Holan na saída de um treino e o ameaçou.

O caso ganhou tanta repercussão que o barra brava teve a prisão decretada. Chegou a fugir, mas depois se entregou à polícia.

Corinthians terá Jadson e Maycon

O Corinthians terá dois retornos na partida contra o Independiente. Na armação, Jadson vai substituir Mateus Vital, que não fez boa partida diante do Fluminense, no último domingo (15), pela primeira rodada do Campeonato Brasileiro.

O volante Maycon, que ficou no banco de reservas por estar em negociação com o Shakhtar Donetsk (UCR), ocupará a vaga que foi de Renê Júnior. O zagueiro Henrique, que reclama de dores no pescoço após uma queda, treinou nesta terça-feira (17), mas é dúvida.

    NA TV
Independiente x Corinthians
21h45 Globo (SP) e SporTV

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.