Descrição de chapéu Real Madrid

Lesão de Salah e atuação péssima de goleiro tiram esperanças do Liverpool

Craque egípcio saiu de campo chorando aos 30 minutos do primeiro tempo

O goleiro Loris Karius, do Liverpool, lamenta uma de suas duas falhas na final contra o Real Madrid
O goleiro Loris Karius, do Liverpool, lamenta uma de suas duas falhas na final contra o Real Madrid - Kai Pfaffenbach/Reuters
Luís Curro Alberto Nogueira
Kiev (Ucrânia) e São Paulo

A derrota do Liverpool por 3 a 1 para o Real Madrid na final da Liga dos Campeões, disputada neste sábado (26), em Kiev (Ucrânia), não deve sair tão cedo da memória dos torcedores ingleses, principalmente por causa de dois personagens: o egípcio Mohamed Salah e o alemão Loris Karius.

O primeiro é o grande nome do clube inglês na temporada, artilheiro da equipe na competição europeia com dez gols —ao lado de Roberto Firmino e Sadio Mané— e do Campeonato Inglês, com 32 gols.

Nele era depositada a esperança da torcida em conquistar o título europeu, algo que não acontece desde a edição 2004/2005 do torneio.

O sonho começou a ruir aos 24 minutos, quando Salah sentiu o ombro após o zagueiro Sergio Ramos segurar seu braço e depois cair sobre ele. A frustração era visível no rosto do torcedor ao ver a grande estrela do time deixando o gramado aos prantos.

"A contusão foi realmente séria. Não parecia bom", disse o técnico alemão Jürgen Klopp após o jogo.

A federação egípcia de futebol, em comunicado oficial, não descarta a participação do seu melhor jogador na Copa do Mundo da Rússia, mesmo com a confirmação de lesão nos ligamentos do ombro, constatada após exames.

Se o egípcio era o candidato a herói, faltava ainda alguém para interpretar o vilão da finalíssima: o goleiro Karius.

O jogador alemão de 24 anos faz temporadas irregulares desde a sua chegada ao clube inglês, em 2016.

O atacante Salah, do Liverpool, é consolado por Cristiano Ronaldo, do Real Madrid, no momento de sua substituição
O atacante Salah, do Liverpool, é consolado por Cristiano Ronaldo, do Real Madrid, no momento de sua substituição - Phil Noble/Reuters

Os ex-jogadores Phil Thompson e Mark Lawrenson, ídolos do Liverpool que atuaram entre os anos 1970 e 1980 e ganharam a Liga dos Campeões, comentaram a permanência como titular do contestado goleiro em entrevistas antes da final.

Thompson elogiou o fato de o atleta ter chegado à decisão, mas alertou: "Ele deveria ser trocado? Provavelmente."

Lawrenson foi mais incisivo nas críticas. "Ele comete erros e costuma espalmar a bola para dentro da meta". Foi o que aconteceu no terceiro gol do Real, em chute de Bale.

Antes, errou saída de bola com as mãos no gol de Benzema. Ao final do jogo, chorou e pediu desculpas à torcida, que o aplaudiu.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.