Sem artista russo, música da Copa tem Will Smith; ouça e relembre temas

Produzida por Diplo, canção escrita para o evento deve ser apresentada ao vivo antes da final

Rafael Gregorio
São Paulo

Com participação do ator e rapper Will Smith e produção do DJ Diplo, foi apresentada nesta sexta (25) a música oficial da Copa do Mundo de 2018.

“Live it Up” (viva, em português) é cantada pelo porto-riquenho Nicky Jam, referência do ‎reggaeton e famoso por hits como “Hasta el Amanecer”.

Além de Smith, a música também tem participação da cantora Era Istrefi, nascida em Kosovo, território sérvio que declarou independência em 2008.

Segundo a Fifa, os três devem apresentar a música antes da partida final, agendada para 15 de julho, no estádio Luzhniki, em Moscou.

“É uma honra ser convidado para me apresentar na Copa do Mundo, que reúne pessoas de todo o mundo para torcer, se divertir e viver momentos mágicos. Só queremos ver o mundo dançar”, afirmou Smith, que ainda elogiou a mistura de “sabores e gêneros musicais” na canção.

A produção é de Diplo, DJ, produtor e rapper americano, conhecido pelo projeto de dancehall Major Lazer e por trabalhos de produção com artistas como Justin Bieber, Madonna, Britney Spears, M.I.A. e Snoop Dogg.

Baseada em base de ritmo forte e tempo rápido, com elementos eletrônicos, a canção segue o padrão das duas últimas músicas oficiais da Copa do Mundo.

Em 2014, quando a Copa do Mundo aconteceu no Brasil, Claudia Leitte se juntou a Jennifer Lopez e Pitbull em “We Are One (Ole Ola)”.

Antes, em 2010, Shakira cantou “Waka Waka (This Time for Africa)” com o grupo sul-africano Freshlyground para celebrar a Copa do Mundo na África do Sul.

Na edição de 2006, na Alemanha, a canção oficial do evento foi “Celebrate the Day”, composta pelo alemão Herbert Grönemeyer. A pegada era pop, mas diferente da tendência que passou a vigorar nas edições seguintes.

Em 2002, na Copa do Mundo na Coreia do Sul e no Japão, a música tema do evento foi “Boom”, da americana Anastacia —sucesso à época, ela praticamente desistiu da carreira musical após ter sido diagnosticada com câncer de mama.

Na Copa do Mundo de 1998, na França, o escolhido foi Ricky Martin. “The Cup of Life” tornou-se um grande sucesso —talvez a mais conhecida música oficial de uma Copa do Mundo— e rendeu ao cantor porto-riquenho um prêmio Grammy.

Em 1994, nos Estados Unidos, o americano Daryl Hall escreveu e interpretou “Gloryland”, música oficial daquela edição do evento, inspirada no tradicional cântico “Glory, Glory, Hallelujah” e de um pop ainda distante do batidão de beat acelerado que passou a reger o gênero.

Em 1990, na Copa do Mundo na Itália, o compositor italiano Giorgio Moroder apresentou “Un'Estate Italiana”.

Moroder, que já tinha colaborado com canções para eventos esportivos como as Olimpíadas de 1984, 1988 e 2008, escreveu a última canção oficial do evento que não foi interpretada em inglês, como todas as outras que se seguiram.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.