Antes da Copa, Pelé é esperado na Rússia para palestra com estudantes

Ex-jogador ainda não confirmou presença na cerimônia que acontecerá no dia 14 no estádio Lujniki

Pelé, o presidente da Rússia, Vladimir Putin (à esq.) e o argentino Diego Maradona (à dir.) no sorteio da Copa do Mundo da Rússia
Pelé, o presidente da Rússia, Vladimir Putin (à esq.) e o argentino Diego Maradona (à dir.) no sorteio da Copa do Mundo da Rússia - Alexey Nikolsky - 1.dez.2017/Kremlin/Reuters
Fábio Aleixo
Moscou

Pelé é esperado na Rússia para uma palestra marcada para o dia 11 de junho, segunda-feira, em Moscou. Ele é um dos ex-jogadores convidados para um bate-papo com estudantes da Universidade Estadual de Moscou.

O encontro foi anunciado nesta quarta-feira (6) pela reitoria da universidade.

Segundo a Folha apurou, será um evento restrito e fechado à imprensa.

Com a ida à Rússia, aumenta a chance de o ex-jogador de 77 anos estar presente na cerimônia de abertura da Copa do Mundo, que acontece três dias depois, em 14 de junho, no estádio Lujniki. A Rússia enfrentará a Arábia Saudita.

Pelé já foi convidado pela Fifa para a cerimônia e também para a final, mas ainda não garantiu a sua presença. É provável que isso ocorra até o fim da semana.

A última viagem de Pelé à Rússia foi para o sorteio dos grupos do Mundial, em dezembro do ano passado. Na ocasião, ele apareceu para a cerimônia em uma cadeira de rodas por causa da dificuldade de se locomover.

Pelé vem há anos batalhando contra um problema no quadril. Ele está em tratamento para se recuperar de malsucedida cirurgia de implante de prótese no quadril, em 2012. Depois disso, passou por mais duas operações.

Ele ainda reclama de dores, mas mostra significativa melhora na capacidade de locomoção. Em entrevista à Folha, em 2016, chegou a dizer ter sido vítima de erro médico, algo que foi descartado.

Em junho de 2017, o ex-jogador também esteve na abertura da Copa das Confederações. A viagem à Rússia serviu para atender um compromisso com a fabricante de relógios suíça Hublot, da qual é embaixador. Ele participou da abertura de uma loja e de uma cerimônia na Praça Manej, próxima ao Kremlin.

Em janeiro, foi com um andador para participar da festa e abertura do Estadual do Rio, do qual foi embaixador. Deveria entregar a taça ao campeão em abril, mas os problemas físicos o impediram.

Em março, quando o Brasil enfrentou a Rússia em amistoso no estádio Lujniki de Moscou -vitória por 3 a 0- estava prevista uma homenagem a Pelé.

A ideia era que ele entrasse em campo passando por um corredor formado pelos jogadores das duas seleções. Seria para marcar os 60 anos de sua estreia em Copas.

Entretanto, por recomendação médica em virtude de dores no joelho, não viajou à capital russa.

A Folha apurou que, no fim de maio deste ano, Pelé recebeu liberação de seus médicos para ir à Rússia.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.