Descrição de chapéu Copa do Mundo

Com seleção de jovens, França de Griezmann pega Austrália na estreia

Destaque do time azul, atacante se projeta no agora técnico Deschamps

Eduardo Geraque
Moscou

No dia 12 de julho de 1998, aos sete anos de idade, Antoine Griezmann, 27, passou a ter um sonho

Ao ver o então capitão Didier Deschamps levantar o troféu de campeão do mundo em casa, após bater o Brasil por 3 a 0, e liderar um dos melhores times franceses de todos os tempos, o garoto começou a projetar-se naqueles heróis, a quem ele corria atrás para pedir autógrafos.

Antoine Griezmann no campo de futebol olhando para bola no ar, pronto para cabeceá-la
Antoine Griezmann durante treinamento na Arena Kazan, um dia antes do início do Mundial da Rússia - Benjamin Cremel - 15 jun. 18/AFP

Se a vontade de atuar com a camisa azul e branca em uma Copa do Mundo vai se repetir agora na Rússia, depois de ele ter jogado no Brasil em 2014, parte das ambições de criança do atleta ainda não se concretizou.

"Meu objetivo é ganhar a Copa do Mundo com a França", reafirmou o atleta do Atlético de Madri, quando desembarcou no país-sede do Mundial.

Os franceses começam sua campanha no torneio neste sábado (16), às 7h (horário de Brasília), contra a Austrália. O jogo será realizado na cidade de Kazan.

Desde a Eurocopa de 2016 como um dos protagonistas do time azul, apesar da derrota na final para Portugal -- no mesmo Stade de France em que Deschamps levantara a Taça Fifa 18 anos antes--, Griezmann se consolidará também individualmente com o eventual triunfo em gramados russos.
Em termos de títulos mundiais, superará Neymar, 26, e vai igualar-se a Ozil, 29. Os três atacantes, ao lado de Messi, 30, chegaram à Rússia como potenciais destaques individuais de suas seleções.

O atacante brasileiro foi terceiro colocado na Bola de Ouro da Fifa em 2017. Um ano antes, ele havia perdido a mesma terceira posição na Bola de Ouro exatamente para o jogador francês.

Segundo Griezmann, o mais importante no Mundial da Rússia é obter o título. "Independentemente do estilo de jogo da equipe", afirmou.

Para isso, além de um grupo de jogadores jovens, como Mbappé, 19, do Paris Saint-Germain, a seleção contará com Deschamps no comando técnico. O ídolo de infância de Griezmann, que já o dirigiu na Copa do Mundo do Brasil.

"Sinto-me bem neste grupo. Com muita parceira com Deschamps", disse Griezmann, sem entrar em uma das polêmicas que cerca o trabalho do treinador francês às vésperas do Mundial.

A imprensa francesa critica Deschamps sob o argumento de que ele é conservador, por não conseguir armar uma equipe forte no ponto de vista coletivo, apesar da quantidade de talentos individuais que tem.
Entra nessa lista Giroud, do Chelsea, que desde 2011, quando passou a jogar com a seleção nacional, marcou 30 gols. E também estava no grupo que vice-campeão da Euro em casa.

 

"Nós somos muito fortes principalmente no ataque. Mas precisamos defender com os 11", alerta o próprio Griezmann, antes mesmo de a seleção estrear.

O atacante francês, que é neto de portugueses por parte de mãe, também encerrou uma polêmica pessoal assim que chegou ao Leste Europeu para o Mundial.

Cobiçado pelo Barcelona, ele disse que já tomou sua decisão e vai ficar em Madri, no time colchonero. O atacante canhoto, que marcou seis gols em sete jogos na campanha vice-campeã europeia --foi o artilheiro isolado do torneio--, veste a camisa francesa desde as categorias de base. Mas, em clubes, ele nunca jogou em seu país natal. 

O francês começou a sua carreira no Real Sociedad, da cidade basca de San Sebastián, na Espanha, e, em 2014, transferiu-se para o Atléti- co de Madri.

Grizezmann recebeu uma punição da federação francesa por um ano em 2012, quando estava no Sub-21, por ter fugido da concentração uma vez. 

Segundo familiares, ele chegou a cogitar a jogar por Portugal naquela época, se não conseguisse mais voltar a atuar pela França.

Entre os favoritos, grupo francês é o mais jovem

Com uma média etária de 26 anos, a seleção da França é a terceira mais nova entre todas as 32 que estão no Mundial da Rússia.

Entre os times favoritos a vencer o torneio, os franceses formam o grupo mais novo.

O Brasil, com 28,6 anos, está na oitava colocação do ranking das equipes mais velhas, enquanto a Argentina é a terceira seleção com mais média etária, 29,3 anos --a primeira, entretanto, se forem considerados apenas os candidatos mais fortes ao título mundial.

Um dos principais destaques jovens da França, que está no Grupo C ao lado de Austrália, Peru e Dinamarca, adversários pela ordem da fase de grupos, é o jovem Mbappé, do Monaco. 

O atacante de 19 anos, campeão europeu Sub-19, atuou apenas 15 vezes no time principal até agora. A seleção alemã também é formada por jogadores jovens. Com 27,1 anos, ela é a sétima com menos idade na Copa.

Entre todas as seleções, a da Nigéria é a mais jovem (25,9 anos), e a Costa Rica, adversária do Brasil na fase de grupo, a mais velha, com uma média de idade de 29,6 anos.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.