Descrição de chapéu Copa do Mundo

Herói argentino, Rojo afirma ter avisado antes do jogo que faria gol

Segundo o zagueiro, Banega e Otamendi riram de sua 'previsão'

Abraçado por Messi, Rojo comemora gol que salvou Argentina
Abraçado por Messi, Rojo comemora gol que salvou Argentina - Yang Lei/Xinhua
Alex Sabino
São Petersburgo

Herói improvável da classificação argentina, Marcos Rojo jura que avisou os colegas de equipe que faria um gol contra a Nigéria, nesta terça (26). Foi graças a ele que a seleção venceu por 2 a 1 e se classificou para as oitavas de final da Copa do Mundo.

“Avisei a Éver [Banega} e a Ota (Nicolás Otamendi). Disse a eles que meteria um gol”, afirmou o zagueiro em entrevista para a emissora TyC, da Argentina.

Ele se recusou a parar para falar com a imprensa escrita. Desde a derrota para a Croácia na última quinta (21), em Nijni Novgorod, a seleção viveu dias conturbados, com boatos de problemas de relacionamento e intervenção dos jogadores para montar a equipe. Mas os rumores vieram principalmente das emissoras de televisão, não dos jornais e sites.

Segundo Rojo, Banega e Otamendi riram de sua afirmação. Mas deram o braço a torcer depois da partida, ao abraçá-lo no vestiário.

“Era um momento que necessitávamos muito. Depois desse resultado estamos mais fortes do que nunca e agora começa a Copa para nós”, completou.

No sábado (30), a Argentina enfrenta a França, em Kazan. Será o primeiro confronto entre as duas seleções em mundiais desde o torneio de 1978, quando os sul-americanos venceram por 2 a 1.

Foi o segundo gol de Marcos Rojo na Copa do Mundo. O primeiro havia sido em 2014, também contra a Nigéria, no último jogo da fase de grupos e decidiu a partida. Há quatro anos, a Argentina venceu por 3 a 2.

“É um resultado que nos dá força porque prova que temos uma equipe capaz de superar momentos difíceis. Isso não havia acontecido contra Islândia e Croácia”, analisou Gonzalo Higuaín, que começou como titular pela primeira vez no Mundial.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.