Invicto no Brasileiro, São Paulo joga por fim de jejum contra Palmeiras

Clube tricolor perdeu todas as partidas que fez contra rival no Allianz Parque

São Paulo

Vivendo momentos distintos no Campeonato Brasileiro, Palmeiras e São Paulo se enfrentam neste sábado (2) às 21h, no Allianz Parque, um terreno hostil para os são-paulinos, que nunca conquistaram pontos na casa do rival.

Desde a inauguração da arena palmeirense no fim de 2014, as equipes se enfrentaram seis vezes, com 100% de aproveitamento do time alviverde. Foram 18 gols marcados e apenas três sofridos.

Além disso, alguns desses jogos foram marcantes, como o primeiro confronto entre os times no estádio, pelo Paulista de 2015, quando Rogério Ceni foi encoberto pelo ex-palmeirense Robinho (hoje no Cruzeiro) em chute quase do meio de campo.

Jogadores do Palmeiras comemoram gol de Robinho em Rogério Ceni, do São Paulo
Jogadores do Palmeiras comemoram gol de Robinho em Rogério Ceni, do São Paulo - Eduardo Anizelli - 25.mar.15/Folhapress

O São Paulo quer quebrar essa marca negativa e vem embalado para isso. Único invicto na competição nacional, o clube tricolor tem 16 pontos e está em segundo lugar, atrás do Flamengo, que tem 17.

O Palmeiras faz uma campanha abaixo do esperado. É o décimo, com 11 pontos em oito jogos. A equipe vem de duas derrotas consecutivas, para Sport e Cruzeiro, respectivamente, o que coloca pressão no técnico Roger Machado.

No rival, Diego Aguirre parece ter acertado o time. A equipe sofre menos defensivamente e tem feito muitos gols. Foram seis nos últimos dois jogos da competição, contra América-MG e Botafogo. 

Destaque para o trio Diego Souza, Nenê e Everton, que juntos marcaram nove vezes no Campeonato Brasileiro. 

A situação é parecida com a de quando os clubes se enfrentaram pela nona rodada do Campeonato Brasileiro de 2015, no Allianz Parque. 

O São Paulo, comandado por Juan Carlos Osorio, era o segundo e se vencesse poderia chegar a liderança, mas foi goleado por 4 a 0 pelo arquirrival, do então técnico Marcelo Oliveira, apenas o 14º.

Apesar do melhor momento são-paulino, os números gerais do pressionado Roger Machado são superiores aos do uruguaio Aguirre.

O treinador palmeirense conquistou 68,69% dos pontos que disputou (33 jogos, 21 vitórias, 5 empates e 7 derrotas), contra 56,2% do rival deste sábado (16 jogos, 7 vitórias, 6 empates e 3 derrotas).

No entanto, a expectativa criada em torno do Palmeiras na temporada, em razão dos investimentos feitos, e a perda do título do Paulista em pleno Allianz Parque para o arquirrival Corinthians explicam a cobrança da torcida.

A avaliação é de que o time poderia render mais. Nem mesmo a melhor campanha da fase de grupos da Libertadores e o fato de seguir vivo na Copa do Brasil aliviam a pressão, que pode piorar em caso de uma derrota inédita para o São Paulo em casa.

O clube tricolor, que começou o ano sob desconfiança após um 2017 ruim, chega ao clássico motivado para acabar com esse jejum e vê o rival enfraquecido como mandante na temporada, com apenas 61% de aproveitamento.

PALMEIRAS
SÃO PAULO

21h, Allianz Parque
Na TV: Pay-per-view

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.