Neymar é caçado, reclama de dor no pé, e quarteto ofensivo fica apagado

Apesar de dores, Neymar estará em campo na sexta-feira, segundo médico

Camila Mattoso Diego Garcia Luiz Cosenzo Sérgio Rangel
Rostov

No empate por 1 a 1 contra a Suíça neste domingo (17), o atacante Neymar sofreu o maior número de faltas por um único atleta em uma mesma partida de Copa do Mundo desde 1998.

Foram 10 infrações em cima do camisa 10 da seleção brasileira, que deixou a Arena Rostov mancando, com dores no tornozelo direito.

"Depois que esfria, dói. Mas não é nada preocupante. Não tenho nada a declarar [sobre as faltas sofridas]. Se a arbitragem não presta atenção, é ruim para o futebol", reclamou o atacante. Ele deixou o vestiário da seleção caminhando com dificuldades.

A última vez que um jogador foi tão caçado em campo foi na Copa do Mundo de 1998, na França. Na ocasião, o inglês Alan Shearer sofreu 11 faltas na vitória por 2 a 0 contra a Tunísia.

Apesar do excesso de infrações em cima do jogador brasileiro, o médico da seleção Rodrigo Lasmar demonstrou tranquilidade com a situação do atacante.

"Nenhuma preocupação. Da parte médica, ele estará 100% para o próximo jogo. Não vai passar por nenhum tratamento específico, não estamos preocupados", disse o médico --o Brasil pega a Costa Rica na sexta-feira (22).

Segundo Lasmar, Neymar já treina normalmente com o grupo nesta semana. "As pancadas foram no tornozelo, e não no pé operado", explicou.

Neymar começou bem a partida diante da Suíça, mas deu mostras de que seria perseguido pelos adversários desde o princípio.

Logo aos três minutos de bola rolando, ele recebeu a bola pela primeira vez e foi cercado por três atletas suíços no meio de campo. Reclamou de falta, mas acabou ignorado pela arbitragem.

Dois minutos depois, foi puxado pela camisa pelo número 10, Xhaka, mas o árbitro deu vantagem ao brasileiro no lance. Depois, advertiu o meio-campista europeu.

Neymar construiu sua primeira grande jogada aos 11 minutos. Recebeu de Coutinho e deixou Paulinho sozinho na grande área, mas o volante pegou mal na bola e por pouco não abriu o placar.

A partir dos minutos finais do primeiro tempo, Neymar começou a levar a mão ao tornozelo direito e a mancar, indicando dores no local.

Na volta do intervalo, a seleção tomou o empate, aos 5 minutos. O camisa 10, então, tentou chamar a responsabilidade para si e arriscou jogada individual pelo lado direito do ataque. Ao buscar o drible, viu os adversários entrarem com força, aos 12.

Com o pé direito operado em março, Neymar sentiu o golpe e sequer cobrou o escanteio seguinte, apesar de ser o cobrador oficial da seleção brasileira. A partir daí, passou a caminhar de forma tímida pelo lado direito, de vez em quando com dificuldades para pisar no chão.

O jogador enfrentou uma fratura no quinto metatarso do pé direito no fim de fevereiro, durante partida entre PSG e Olympique, pelo Campeonato Francês. 

Passou por cirurgia no início de março, enfrentando quase três meses de recuperação na sequência.

Neymar voltou aos gramados no amistoso entre Brasil e Croácia, em Liverpool.

Entrou no segundo tempo e fez um dos gols da vitória por 2 a 0. Balançou as redes novamente em novo jogo preparatório, desta vez contra a Áustria, em Viena, que terminou 3 a 0 e foi substituído nos minutos finais da partida.

A atuação apagada de Neymar neste domingo diante dos suíços reflete também com o jogo apresentado pelo quarteto ofensivo da seleção brasileira, formado, além do camisa 10, também pelo centroavante Gabriel Jesus e pelos meia-atacantes Phillipe Coutinho e Willian.

O Brasil abriu o placar aos 20 minutos, em chute de fora da área de Philippe Coutinho, e depois caiu de produção. O gol do camisa 11 foi a única grande participação de um integrante do quarteto ofensivo na partida.

Willian esteve apagado durante todo o confronto, assim como o atacante Gabriel Jesus, perdido entre os zagueiros da Suíça. Nenhum deles finalizou com perigo ao goleiro Yann Sommer.

Neymar tentou duas vezes: uma pelo lado direito, em chute que pegou na rede pelo lado de fora, e outra em cabeçada no meio do gol, aos 42 minutos do segundo tempo.

"Isso é Copa do Mundo. A gente sabia que seria difícil. Hoje jogamos contra uma grande seleção. Infelizmente não saímos com resultado que queríamos", disse Philippe Coutinho após o jogo.

A seleção de Tite está invicta há mais de um ano e acumula 17 vitórias em 22 partidas desde a contratação do treinador, em 2016.

A Sérvia lidera o Grupo E da Copa do Mundo com três pontos, após vitória por 1 a 0 diante da Costa Rica. O Brasil, com um ponto, divide a segunda colocação com a suíça. O próximo jogo é na sexta-feira (22), às 9h (horário de Brasília) em São Petersburgo, contra os costarriquenhos. 
 


JOGOS DO BRASIL​

22/06 – Sexta-feira, às 9h
Copa do Mundo
Brasil x Costa Rica – São Petersburgo, Rússia
Na TV: Globo, SporTV e Fox Sports​

27/06 – Quarta-feira, às 15h
Copa do Mundo
Sérvia x Brasil – Moscou, Rússia
Na TV: Globo, SporTV e Fox Sports 

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.