Descrição de chapéu Copa do Mundo

Roqueiro, técnico da Argentina manda pintar trechos de músicas em paredes do CT

Centro de treinamento da equipe foi pintado com 21 frases motivacionais para os atletas

O técnico da seleção argentina Jorge Sampaoli durante treino do time em Bronnitsi (55 km de Moscou), nesta segunda (11) - AFP
Alex Sabino
Bronnitsi

Por iniciativa do departamento de marketing da AFA (Associação de Futebol Argentino), a reforma do centro de treinamento em Bronnitsi (55 km de Moscou), onde a equipe está hospedada para a Copa na Rússia contemplou a pintura de 21 frases motivacionais para os atletas. Não é um expediente novo no futebol, mas o técnico Jorge Sampaoli pediu a responsabilidade de escolhê-las. Foi atendido e selecionou trechos de músicas do rock argentino.

Sampaoli é tão roqueiro que tem no braço direito tatuagem com trecho da letra da canção “Prohibido” (proibido, em espanhol) de sua banda favorita, Callejeros: "no escucho y sigo porque mucho de lo que está prohibido me hace vivir" (não escuto e sigo porque muito do que é proibido me faz viver).

O treinador é amigo do vocalista da banda Pato Fontanet e liderou campanha pela sua libertação. O músico recebeu liberdade condicional no mês passado após ficar preso quatro anos e seis meses. Ele foi condenado pelo que ficou conhecido pela tragédia de Cromañon, quando em um show da banda, em 2004, 194 pessoas morreram.

Segundo funcionários da AFA, a intenção foi encontrar frases de músicas conhecidas que pudessem mexer com os jogadores. Uma delas é "yo vengo a oferecer mi corazón" (eu venho para oferecer meu coração), de canção de mesmo nome, gravada em estilo rock por Fito Páez, mas originalmente de Mercedes Sosa.

"La tierra está vibrando" (a terra está vibrando), da música “Civilización” (civilização) da banda Los Piojos foi outra escolhida.

Ao anunciar a lista dos 23 convocados para a Copa do Mundo da Rússia, Sampaoli recebeu de presente uma camiseta com a imagem do disco Oktubre, da banda de rock alternativo Patrício Rey y sus Redonditos de Ricota. O técnico ficou visivelmente tocado pela lembrança porque o trabalho foi lançado pela primeira vez em 1986, ano do último título mundial da Argentina.

Prometeu que se a seleção for campeã em 2018, ele dará sua primeira entrevista coletiva após a vitória usando a camiseta.

O fanatismo de Sampaoli pelo rock nacional (a banda La Renga é outra de suas favoritas) levou o zagueiro Nicolás Otamendi a ouvir as canções e também se tornar fã confesso.

Não contagiou a todos. Em entrevista ao site da Fifa, Lionel Messi fez uma lista de suas 12 canções favoritas. O predomínio foi do estilo reggaeton, raggae com influências de hip hop, música eletrônica e salsa.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.