Seleção chega à Rússia com a melhor campanha pré-Copa desde 1970

Time de Tite fecha a fase de preparação com 84% de aproveitamento em 21 jogos

Tite em amistoso entre Brasil e Áustria, último jogo da seleção antes da Copa do Mundo
Tite em amistoso entre Brasil e Áustria, último jogo da seleção antes da Copa do Mundo - Leonhard Foeger/Reuters
Luiz Cosenzo Sérgio Rangel
Viena

Após a vitória por 3 a 0 diante dos austríacos, neste domingo (10) em Viena,  Tite não escondeu que estava "orgulhoso" com os jogadores.  A seleção comandada pelo gaúcho de 57 anos chega ao Mundial da Rússia com a melhor campanha pré-Copa desde 1970. O Brasil fechou a fase de preparação com 86% de aproveitamento.

A vitória na Áustria foi a 17ª da era Tite. Ele assumiu o cargo em 2016 após as campanhas desastrosas da equipe de Dunga no início das eliminatórias e na Copa América. Nestes quase dois anos, o time ainda empatou três vezes e perdeu apenas uma —um amistoso contra a Argentina, por 1 a 0, em junho do ano passado, na Austrália.

Nesses 21 jogos, a defesa só levou cinco gols, um recorde antes da disputa da Copa.

A equipe de Tite fez melhor campanha pré-Mundial que os times campeões com Luiz Felipe Scolari, na Ásia, em 2002 (70%), e com Carlos Alberto Parreira, nos EUA, em 1994 (70%). Em 2014, a seleção de Felipão fez o mesmo número de jogos da atual (21) na fase pré-Copa, mas sem o mesmo desempenho. Para o Mundial do Brasil, o time nacional chegou com aproveitamento de 78% —15 vitórias, 4 empates e 2 derrotas.

Mesmo com a vitória em Viena, a equipe de Tite foi superada por pouco pelo time de Zagallo pré-Copa de 70, que teve um aproveitamento de 87%.

Aquela equipe jogou menos da metade das partidas que a seleção de Tite. Com o alagoano no comando da seleção pela primeira vez, o time venceu oito e empatou apenas duas. A equipe daquela época fez apenas amistosos (sendo dois contra seleções regionais e três contra clubes mexicanos) e não passou pelas eliminatórias. A vaga para a Copa já havia sido obtida por João Saldanha no ano anterior.

Além do time de Zagallo, a campanha de Tite é superada também pelas pré-Copas de 1966 (Vicente Feola), 1962 (Aymoré Moreira), 1958 (Vicente Feola), 1954 (Zezé Moreira) e 1934 (Luiz Vinhaes).

O desempenho de Tite no comando da seleção superou o Brasil de 1982 dirigido por Telê Santana, uma das referências do treinador para a Copa da Rússia. A seleção de Telê fez mais jogos que a atual.

Comandado em campo por Zico e Sócrates, o Brasil pré-Copa de 82 teve um desempenho de 82% em 33 jogos (25 vitórias, 6 empates e 2 derrotas), mas não ficou com o título.

ELOGIO E MISTÉRIO

Neste domingo, a vitória por 3 a 0 contra os austríacos foi fácil, quase em ritmo de treino. Os gols foram marcados por Gabriel Jesus, Neymar e Philippe Coutinho.

Antes do jogo, a seleção prestou homenagem a Maria Esther Bueno, 78, maior tenista do país que morreu na última sexta-feira (8). A imagem da atleta apareceu no telão do estádio.

Durante a partida, temendo lesões, os brasileiros evitavam o choque com os austríacos. Em alguns momentos, chegaram a reclamar das entradas dos adversários.

Apesar da boa fase do time, o treinador conteve a euforia. Questionado sobre a possibilidade de título na Rússia, disse estar preocupado “com o desempenho” dos jogadores.

“Quero e sonho com uma Copa. Todos os integrantes querem o título. Mas queremos ficar atentos ao trabalho. Quero esse desempenho deste domingo em todas as partidas. A seleção deu hoje mais um exemplo de amadurecimento”, disse o treinador, antes de seguir para a Rússia, país que sediará a Copa.

Mesmo satisfeito com a atuação da seleção, Tite diz que o time ainda não está pronto.

“A seleção nunca vai estar pronta. Ela passa por etapas, fase de consolidação, amadurecimento e vai se moldado. Fiquei muito feliz e extremante orgulhoso”, disse o treinador, que não quis adiantar se vai manter a equipe ofensiva que jogou o amistoso. Do quarteto ofensivo, só Willian não fez gol neste domingo.

Depois do jogo, a delegação embarcou para Sochi, cidade russa onde fará nesta semana a preparação final para a estreia na Copa. O primeiro jogo da seleção no Mundial será contra a Suíça, no próximo domingo (17), em Rostov.

Para evitar a acomodação dos jogadores, Tite disse que o segredo é cobrá-los “sempre” e fará isso a partir de terça, quando os treinos vão recomeçar. “Temos que sempre nos desafiar. É isso que disse no intervalo e vou voltar a falar agora após o jogo aos atletas. Começa uma nova etapa com o início da Copa, mas o discurso será esse. Sempre nos desafiar”, disse o treinador, que não esconde ser obstinado pelas vitórias.

Jogos do Brasil:

17/06 – Domingo 15h
Brasil x Suíça – Rostov-do-Don, Rússia
Na TV: Globo, SporTV e Fox Sports

22/06 – Sexta-feira 9h
Brasil x Costa Rica – São Petersburgo, Rússia
Na TV: Globo, SporTV e Fox Sports

27/06 – Quarta-feira 15h
Sérvia x Brasil – Moscou, Rússia
Na TV: Globo, SporTV e Fox Sports

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.