Descrição de chapéu Copa do Mundo

Brasileira que fez foto no Bolshoi diz que comemoração foi com mímica

Seis bailarinas assistindo a jogo da Copa viralizou nas redes sociais

Bailarinas do Balé Bolshoi assistem à vitória da Rússia contra a Espanha na Copa - Reprodução Instagram/@gaglianonebruna
Sarah Mota Resende
São Paulo

A imagem ganhou o mundo depois de ser publicada, por uma brasileira, nas redes sociais: na coxia do teatro Bolshoi, na Rússia, um dos mais importante do mundo, seis meninas se amontoaram em frente a um celular para assistir a uma partida da Copa do Mundo —​no caso, a disputa era entre o país sede, a Rússia, e a Espanha. "A foto representa muito bem o fascínio que o futebol exerce nas pessoas", disse um internauta.

Bruna Gaglianone, autora da foto viral, diz que há TVs nos camarins, mas o registro foi feito minutos antes delas entrarem em cena. "Ligamos o celular para acompanhar até o último segundo que podíamos."

Após empate no tempo normal e na prorrogação, a decisão precisou ir para os pênaltis. E as meninas, que tiveram que entrar em cena no Bolshoi, conferiam o andamento da partida a cada saída do palco. 

Segundo Gaglianone, que é a única brasileira entra as meninas russas, foi até difícil se concentrar na apresentação da noite. "Estávamos todas apreensivas e curiosas para saber o que estava acontecendo e, entre uma entrada e outra, corríamos para o celular."

Quando souberam da histórica vitória da Rússia, país sem muita tradição no futebol, foi preciso conter os gritos de euforia na coxia. "Comemoramos com mímica e fizemos sinais para avisarmos as meninas que estavam no palco e dai foram só sorrisos". 

Uma das maiores dúvidas dos internautas após a foto viralizar diz respeito à posição do celular, na vertical. Segundo Gaglianone, o empecilho foi por causa do site. "Foi o único [site] que achamos e não conseguimos ampliar a tela, por isso ficamos todas amontoadas. Não tínhamos tempo de procurar outro site, perderíamos tudo."   

No próximo jogo da Rússia, neste sábado (7), contra a Croácia, as meninas estarão, novamente, em cena —e, diz Gaglianone—, ansiosas para repetir a foto viral após o sucesso. 

Quanto a torcida, a bailarina se divide entre a seleção brasileira e o time da Rússia, país em que vive há seis anos. E, se o Brasil chegar até a final do torneio, Gaglianone diz que vai torcer, pela primeira vez, para não ser escalada para o espetáculo do dia. "Quero poder acompanhar o jogo", diz. 

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.