Hamilton aproveita erro de Vettel, vence GP da Alemanha e retoma a liderança

Em corrida de recuperação, piloto britânico saiu da 14ª colocação para o primeiro lugar

Carro cinza em asfalto
O piloto britânico Lewis Hamilton, da Mercedes, vence o GP da Alemanha de F-1 - Wolfgang Rattay/Reuters
São Paulo | UOL

A temporada da Fórmula 1 sofreu nova reviravolta neste domingo. Em um momento no qual a Ferrari e Sebastian Vettel apresentavam um desempenho maduro e ameaçavam controlar o campeonato, um erro do alemão recolocou a Mercedes e Lewis Hamilton na liderança.

Com uma corrida de recuperação ao sair da 14ª colocação para o primeiro lugar, o britânico venceu o Grande Prêmio da Alemanha e voltou à ponta da temporada.

A vitória veio como resultado da sorte e ousadia. Hamilton recusou a ordem da Mercedes de parar nos boxes, provavelmente para colocar pneu de chuva, e segurou “no braço” a primeira colocação.

Pressionado pelo companheiro Valtteri Bottas, que tinha o carro sustentado por compostos adequados à pista molhada, o britânico sustentou a liderança e caminhou para abrir vantagem no campeonato.

Vice-líder ao chegar à Alemanha, Hamilton alcançou 188 pontos e subiu para o primeiro lugar. Com o abandono ao colidir o carro contra o muro enquanto liderava a prova deste domingo, Vettel tem 171 pontos nesta metade de temporada.

Desde o sábado, o alemão tetracampeão mundial sabia que seria pressionado por Valtteri Bottas. Mesmo com a boa largada do finlandês da Mercedes, Vettel se sustentou na liderança e ainda abriu confortável vantagem em relação ao concorrente.

Vettel "fechou a porta" na primeira curva, e Bottas optou por uma direção mais conservadora para sustentar a posição na largada. Enquanto isso, Raikkonnen segurou Max Verstappen e também se manteve no bloco da frente.

Lewis Hamilton, principal concorrente de Vettel pelo título mundial, acabou preso no bloco intermediário nas primeiras voltas em Hockenheim. O britânico subiu apenas duas posições nos três primeiros contornos no circuito.

O início lento atrapalhou, mas Lewis Hamilton fez uma corrida de recuperação na Alemanha. A partir da quinta volta, o vice-líder do campeonato se impôs sobre os carros do bloco intermediário e não demorou a alcançar o grupo que disputava o pódio. Na metade da prova, o inglês já aparecia no quinto lugar e vislumbrava uma melhor sorte após largar em 14º.

Assim como Hamilton, Daniel Riccardo também mostrou reação ao sair apenas em 19º. Na 20ª volta, o australiano aparecia na zona de pontuação, mas a sorte atrapalhou o competidor da Red Bull.

O novo motor falhou, e o quarto colocado na temporada abandonou a corrida. “Perdi potência, tem alguma coisa errada”, disse no rádio ao encostar o carro.

A FIA (Federação Internacional de Automobilismo) proíbe o jogo de equipe; embora, todos o façam. Entretanto, neste domingo, a Ferrari tratou de driblar as regras, após muita reclamação de Sebastian Vettel.

O alemão voltou atrás de Kimi Raikkonen, que liderava a prova, e cobrou a troca de posição. Vettel mostrou irritação, enquanto o finlandês ignorava o melhor ritmo do companheiro de Ferrari. “Isso é bobo, estou perdendo tempo”, disse o tetracampeão pelo rádio.

Mesmo contrariado, Raikkonen cedeu a liderança para Vettel, que tinha pista livre para ditar o ritmo da prova e conquistar a segunda vitória consecutiva na temporada. Contudo, a chuva veio, o alemão não respeitou a mudança do tempo e entregou a corrida.

Na parte mais lenta do circuito de Hockenheim, o alemão perdeu o controle da Ferrari e colidiu com o muro —​Vettel não usava pneus para a chuva no momento da batida. Ao invés de aumentar a liderança sobre Hamilton na disputa pelo título, o frustrado piloto da escuderia italiana agora terá que novamente correr atrás.

A corrida de recuperação de Hamilton acabou premiada com o erro de Vettel. Próximo ao bloco da frente, o britânico pulou para a primeira colocação com a batida do ferrarista e as opções de Bottas e Raikkonen, que, após o acidente do alemão, optaram pelos compostos de chuva para a parte final da corrida.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.