Descrição de chapéu Copa do Mundo

Serviço de inteligência russo ajuda seleção francesa a evitar espiões

Equipe de Deschamps faz mistério sobre possível substituto de Matuidi

Matuidi, da seleção francesa, durante entrevista coletiva nesta quarta (4)
Matuidi, da seleção francesa, durante entrevista coletiva nesta quarta (4) - Yuri Cortez/AFP
Alex Sabino
Istra

Didier Deschamps não fez treinamentos táticos na seleção francesa desde a vitória sobre a Argentina, na semana passada, pelas oitavas de final. A constatação é que não há mais nada o que ensaiar, apenas manter a forma física dos atletas e evitar lesões antes das quartas de final da Copa do Mundo, nesta sexta (6), diante do Uruguai, em Nijni Novgorod. Mas a preocupação em que ninguém veja nada que não é permitido continua grande.

Desde o início da semana, os treinos da equipe são acompanhados por cerca de 100 agentes de segurança, entre policiais e integrantes da FSB (Serviço de Segurança da Federação Russa), a sucessora da KGB (agência de informação da época da União Soviética). Eles circulam o centro de treinamento para descobrir se alguém está escondido vendo uma atividade que tem sido, basicamente, toques de bola, exercícios físicos e finalizações ao gol.

Nem mesmo foi possível perceber quem será o substituto de Blaise Matuidi. O volante da Juventus (ITA) não poderá jogar por estar suspenso. Ele definiu a experiência de ficar fora na partida decisiva como “dolorosa”.

As escolhas mais óbvias para entrarem na equipe titular são Corentin Tolisso, do Bayern de Munique (ALE), e Thomas Lemar, do Monaco (FRA).

Outros atletas que deixaram o confronto com a Argentina reclamando de dores musculares estão treinando e deverão ficar à disposição: o zagueiro Umiti e os laterais Sidibé e Hernandez.

A preocupação francesa em controlar a informação é tão grande que os jogadores chamados para a entrevista coletiva nesta quarta (4) foram Matuidi (que não vai jogar) e o zagueiro Rami.

“Eles me chamaram para falar com vocês porque Blaie [Matuidi] não é tão engraçado quanto eu”, brincou Rami.

Didier Deschamps comanda o treino de sua equipe nesta quinta (5)
Didier Deschamps comanda o treino de sua equipe nesta quinta (5) - Franck Fife/AFP

As perguntas apenas podem ser feitas em francês e as réplicas devem ser dadas na mesma língua, mesmo que o jogador saiba falar outra. Isso levou a situações como a de um jornalista espanhol que queria saber se Griezmann iria para o Barcelona e usou o Google Tradutor para questioná-lo. A assessoria de imprensa da Federação Francesa não achou graça e não permitiu que a resposta fosse dada pelo jogador.

Apesar de ser um jogador importante no esquema de Deschamps a ausência de Matuidi na França seria menos sentida do que a do atacante Cavani, no Uruguai. Ele deixou a partida contra o Portugal, quando fez os dois gols da classificação, com lesão muscular e é dúvida para as quartas de final. Os jogadores torcem para que o jogador do Paris Saint-Germain veja o jogo das tribunas.

“Edinson [Cavani] vai fazer o que puder [para jogar] e é claro que o Uruguai não é o mesmo time sem ele. Se não jogar...”, disse Matuidi.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.