Com gol de Bruno Peres, São Paulo vence e se mantém no topo do Brasileiro

Time tricolor passou a somar 45 pontos, sem chance de ser alcançado na tabela

Alberto Nogueira
São Paulo

Numa manhã fria e nublada de domingo (26), mais de 57 mil torcedores encheram o estádio do Morumbi para acompanhar a vitória do São Paulo sobre o Ceará por 1 a 0 pelo Brasileiro.

O gol foi marcado por Bruno Peres, aos 32 minutos do segundo tempo, após grande jogada de Reinaldo.

O resultado mantém o time na liderança, agora com 45 pontos, três a mais do que vice-líder Internacional.

O São Paulo volta a campo pelo Nacional no próximo domingo (2), quando enfrenta o Fluminense, em casa.

 Bruno Peres comemora o gol que definiu a vitória são-paulina
Bruno Peres comemora o gol que definiu a vitória são-paulina - Paulo Whitaker/Reuters

A torcida são-paulina, empolgada com o desempenho do time compareceu em peso. Segundo o clube, o estádio recebeu 57.323 pessoas. Cadeiras vazias, só no espaço destinado à torcida do Ceará.
Vindo de um empate em 1 a 1 com o lanterna Paraná na quarta (22), o time tricolor tinha em casa a chance de somar mais três pontos.

O adversário deste domingo era outra equipe da zona de rebaixamento. 

No entanto, assim como na rodada anterior, isso acabou sendo uma dificuldade.

O Ceará foi ao Morumbi claramente para se defender.

Se a maneira de jogar do São Paulo, com um sólido setor defensivo, pouca posse de bola e de ataques rápidos e precisos, lembra à do Corinthians campeão brasileiro do ano passado, as dificuldades também são similares.

O arquirrival, comandado pelo então técnico Fábio Carille, teve problemas, principalmente no segundo turno, com equipes da parte debaixo da tabela, como o Vitória e os rebaixados Atlético-GO e Ponte Preta, por exemplo.

O Corinthians teve que ter mais posse de bola e propor o jogo e acabou derrotado pelas três equipes citadas, que jogavam muito fechadas e exploravam os contra-ataques.

Placar do Morumbi homenageia Otavio Frias Filho antes do início da partida entre São Paulo e Ceará. O diretor de Redação da Folha morreu na última terça (21), vítima de um câncer originado no pâncreas
Placar do Morumbi homenageia Otavio Frias Filho antes do início da partida entre São Paulo e Ceará. O diretor de Redação da Folha morreu na última terça (21), vítima de um câncer originado no pâncreas   - Miguel Schincariol/Folhapress

Na atual edição do Brasileiro, o São Paulo tem 48% de média de posse de bola por partida. No empate contra o Paraná teve 58,5% durante o segundo tempo, quando pressionou o adversário, mas não traduziu o domínio em gols.

A equipe do técnico Diego Aguirre parecia seguir pelo mesmo caminho na partida contra o Ceará, quando teve a bola por 59% do tempo.

Não dá para negar que o time do Morumbi foi superior e que praticamente não foi ameaçado, mas sofreu para marcar. Foram 16 finalizações para fazer um gol.

O Ceará se manteve atrás durante toda a partida. Quando tinha a bola, o time preferia tocar de lado, sem pressa, quando não abusava da cera para repor a bola em jogo ou cobrar faltas e escanteios.

Toda essa demora deixou os torcedores são-paulinos impacientes. As arquibancadas do Morumbi durante o segundo tempo já não reproduziam a empolgação de antes da partida e dos minutos iniciais de jogo.

Numa das poucas vezes que se mandou ao ataque, cedeu espaço para o São Paulo fazer o que mais gosta: contra-atacar em velocidade.

O time paulista só não abriu placar após arrancada de Éverton porque o lateral esquerdo Reinaldo errou a passada e foi travado antes de concluir para o gol, aos 13 min do segundo tempo.

Apesar do erro, Reinaldo, que faz grande temporada, foi fundamental para a vitória. Aos 32 minutos da segunda etapa,driblou três adversários e tocou para Diego Souza ajeitar para o lateral Bruno Peres fazer o gol da vitória.

 
Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.