Dudu marca, Palmeiras se classifica e pega Cruzeiro na semi da Copa do Brasil

Contra o Bahia, atacante vai às redes e acaba com jejum de gols

Dudu comemora gol do Palmeiras no Pacaembu
Dudu comemora gol do Palmeiras no Pacaembu - Cesar Greco/Agência Palmeiras
Luiz Cosenzo
São Paulo

Em 1998, Felipão conquistava o tricampeonato da Copa do Brasil e o seu primeiro título no comando do Palmeiras com uma vitória sobre o Cruzeiro. Vinte anos depois, o adversário estará novamente no caminho da equipe alviverde e do treinador.

Desta vez, a partida será pela semifinal da competição. O time paulista garantiu vaga na próxima fase com um triunfo sobre o Bahia por 1 a 0, nesta quinta (16), no Pacaembu.

Os jogos estão marcados para os dias 12 e 26 de setembro. A CBF (Confederação Brasileira de Futebol) vai realizar o sorteio para definir o mando de campo na próxima quarta-feira (22). O outro duelo reunirá Corinthians e Flamengo.

 

O placar mínimo foi suficiente para o clube avançar na competição após o empate no jogo de ida por 0 a 0, realizado há 15 dias, em Salvador.

O histórico do confronto entre Palmeiras e Cruzeiro na Copa do Brasil não se resume apenas ao triunfo palmeirense por 2 a 0, em jogo realizado no Morumbi.

As duas equipes já se encontraram em quatro oportunidades no campeonato. Dois anos antes de o Palmeiras conquistar o título, o Cruzeiro foi campeão sobre o rival no antigo Palestra Itália.

Os times voltaram a se enfrentar no torneio em 2015, quando o clube paulista eliminou o adversário nas oitavas de final na caminhada rumo ao tricampeonato. O troco veio na temporada passada, e o time mineiro também terminou a campanha com a conquista do título.

O Palmeiras tem novamente no banco de reservas Felipão, o maior vencedor da Copa do Brasil, com quatro títulos.

Especialista em jogos eliminatórios, o treinador moldou o Palmeiras ao seu estilo em menos de 15 dias de trabalho. Em quatro jogos sob o seu comando, obteve três vitórias e um empate.

Com um futebol de muita marcação e aposta nas jogadas aéreas e nos contra-ataques, marcou quatro gols —média de um por partida. Ele ainda não viu sua defesa ser vazada pelos adversários.

A equipe alviverde não sofre gol há seis jogos. A última vez foi em 25 de julho, quando perdeu para o Fluminense por 1 a 0. O revés custou a demissão de Roger Machado.

“A gente vem trabalhando principalmente no setor de cobertura. Uma defesa que joga com boa cobertura pode ter uma falha, que o companheiro vai estar ali para ajudar. A defesa vem se portando muito bem. Futebol é muito simples, não tem nada de novidade”, afirmou Felipão.

Diante do Bahia, o treinador viu a equipe errar muitos passes até a metade do primeiro tempo e ainda tomar um grande susto, quando Edigar Junio acertou a trave. Gilberto pegou a sobra e chutou a bola nas costas do companheiro, com Weverton ainda caído.

O Palmeiras, porém, conseguiu controlar o jogo e criou pelo menos três excelentes oportunidades de gol dentro da grande área. Borja mandou para fora logo no início do jogo, enquanto Willian e Moisés pararam no goleiro Anderson.

Na etapa complementar, o camisa nove desperdiçou nova chance de frente com o goleiro do time baiano. Quando a torcida começava a ficar impaciente, Dudu fez de cabeça o gol da classificação.

O jogador não marcava desde 10 de junho, quando o Palmeiras empatou com o Ceará pelo Brasileiro por 2 a 2.

“Temos um ambiente muito bom com o Dudu e vinha cobrando para ele fazer um gol, e hoje foi o gol que nos colocou na semifinal”, disse Felipão sobre o comandado.

 
Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.