Descrição de chapéu Copa Libertadores

Sob protesto e tentativa de invasão, Santos é eliminado da Libertadores

Empate em 0 a 0 não foi suficiente depois dos 3 a 0 determinados pela Conmebol

Luiz Cosenzo
São Paulo

Invasão de torcedores no gramado, bombas atiradas e uma confusão entre o técnico Cuca e policiais militares. Foi dessa forma que terminou a participação do Santos na Libertadores, após empate diante do Independiente por 0 a 0, nesta terça (28), no estádio do Pacaembu, pelas oitavas de final da competição.

A confusão começou aos 35 minutos do segundo tempo, quando torcedores santistas do setor verde do estádio atiraram duas bombas. Elas explodiram na pista lateral do gramado, perto do banco de reservas argentino. Cadeiras do setor laranja foram arremessadas no gramado.

Na sequência, torcedores na entrada principal começaram a forçar as grades para tentar invadir o gramado, mas foram contidos pelos policiais. A cena foi bem parecida com o episódio corintiano em 2006, quando a equipe foi eliminada pelo River Plate também no estádio municipal.

Os policiais impediram uma invasão em massa, mas não conseguiram barrar outros quatro torcedores. Um dos invasores foi contido já dentro do gramado. O técnico Cuca tentou apaziguar e correu em direção ao torcedor para defendê-lo, mas se envolveu em confusão com um policial.

De acordo com o comando da Polícia Militar, as imagens serão analisadas para verificar se houve desobediência a autoridade. Cuca poderá ser chamado para prestar depoimento nesta quarta-feira (29).

"Faria isso por qualquer pessoa. Fui tentar tirar a mão do policial. Não precisava de tanta pessoa. Foi uma força exagerada, que não era necessária. O rapaz está errado de invadir o campo", disse Cuca.

Após consultar o policiamento, o árbitro chileno Julio Bascuñan encerrou a partida por falta de segurança.

A Conmebol deverá se pronunciar também nesta quarta. A equipe alvinegra pode ser multada, perder mando de campo e jogar com portões fechados em futuros torneios.

Em 2015, a entidade excluiu o Boca Juniors da competição e impediu a presença da torcida por oito jogos após torcedores jogarem gás de pimenta nos jogadores do River Plate, pela volta das oitavas de final. A punição acabou revista e diminuída para dois jogos.

Antes das cenas de violência, a eliminação santista na Libertadores começou a ser desenhada na manhã desta terça, quando o clube foi punido por escalar irregularmente o uruguaio Carlos Sánchez no jogo de ida, realizado há uma semana, que terminou 0 a 0. 

Com a punição, anunciada às 11h, o placar da partida foi alterado para 3 a 0. Assim, a equipe precisava vencer por quatro gols de diferença para avançar direto ou por 3 a 0 para levar a decisão aos pênaltis.

Sánchez deveria cumprir suspensão no jogo anterior por causa de sua expulsão quando defendia o River Plate em duelo contra o Huracán, em 26 de novembro de 2015, pela semifinal da Copa Sul-Americana. Na época, o jogador foi julgado pela entidade que comanda o futebol sul-americano e pegou três partidas de gancho.

Um ano depois, a punição foi reduzida para um jogo.

O Santos escalou o jogador com base no sistema Comet, da Conmebol, que apontava Sánchez como apto para a partida. A equipe não enviou ofício à entidade para saber se o atleta tinha alguma punição antes de escalá-lo.

O uruguaio Carlos Sánchez em ação contra o Independiente, nesta terça (28), no Pacaembu
O uruguaio Carlos Sánchez em ação contra o Independiente, nesta terça (28), no Pacaembu - Andre Penner/Associated Press

O presidente do time paulista, José Carlos Peres, que foi hostilizado pelos torcedores santistas durante o jogo contra o Independiente, afirmou que "irá a todas instâncias cabíveis, a fim de que a justiça sobre o caso seja feita".

O clube tem cinco dias para recorrer à corte de apelações da Conmebol. O clube sabe que não conseguirá reverter o resultado nessa instância, mas precisa passar por ela antes de ir apelar à Fifa. Em caso de nova derrota, a última solução seria ir ao CAS (Corte Arbitral do Esporte), na Suíça.

O episódio deixou Cuca descontente. Após o jogo, ele disse que o clube precisa evoluir.

"Amanhã podem me mandar embora, mas o Santos tem de melhorar muito profissionalmente e internamente. Isso que ocorreu é um erro muito grande e muito grave. É o beabá. Junto disso vêm outras ações. O torcedor vem a campo louco da vida", disse o treinador, que completa um mês no cargo na quinta (30).

O Santos não é o primeiro clube brasileiro punido pela Conmebol na Libertadores por escalação irregular.

No ano passado, a entidade puniu a Chapecoense com a perda de três pontos após o clube catarinense colocar em campo o zagueiro Luiz Otávio, que estava suspenso. A equipe de Santa Catarina alega que havia sido avisada da punição momentos antes do jogo.

Empurrado pela torcida, que lotou o Pacaembu, o Santos partiu para cima do Independiente. Cuca escalou quatro atacantes: Derlis Gonzáles pela direita, Gabriel centralizado e Bruno Henrique pela esquerda. O atacante Rodrygo ficou responsável pela armação das jogadas.

Sánchez, liberado pela Conmebol para este segundo jogo, atuou no meio de campo ao lado de Alison. 

Aos 8 minutos, a equipe alvinegra teve excelente oportunidade de abrir o placar. Gabriel foi lançado livre, mas finalizou em cima do goleiro Campaña. O camisa 10 teve nova oportunidade, mas parou novamente em Campaña, aos 38 minutos.

Apesar de procurar impor um ritmo veloz, o time errava muitos passes e cruzamentos quando se aproximava da grande área. O clube também deixava espaços na defesa. Em um desses lances, Hernández recebeu livre, driblou Vanderlei e foi derrubado dentro da área, pênalti. Meza cobrou, mas o goleiro santista defendeu.

Foi o único momento em que a torcida santista vibrou com intensidade no Pacaembu.

No segundo tempo, os torcedores continuaram apoiando. Porém, o Santos não ameaçou o goleiro adversário. Cuca voltou com Bryan Ruiz no lugar de Bruno Henrique e, logo depois, colocou Rodrigo Bambu na vaga de Lucas Veríssimo, que saiu machucado. Na reta final do jogo, Jean Mota substituiu Alison. 

O time marcou sob pressão, insistiu nas jogadas aéreas, mas não conseguiu chegar ao gol. O clube ainda tomou um susto, quando Hernández acertou o travessão. 

Antes da partida terminar, torcedores santistas começaram a jogar bombas e rojões no gramado, dando início à confusão. A partida foi encerrada antes do fim pelo árbitro chileno Julio Bascuñan por falta de segurança e o Santos, com o empate sem gols, não conseguiu reverter os 3 a 0 determinados pela Conmebol para o jogo de ida, dando adeus à Copa Libertadores.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.