Após escapar do Exército, coreano vira ameaça para Lucas no Tottenham

Sem férias, Son Heung-min retorna ao time inglês após disputar Copa e Jogos Asiáticos

Steve Douglas
Londres

O fatigante verão futebolístico de Son Heung-min incluiu a Copa do Mundo da Rússia, uma excursão de pré-temporada aos Estados Unidos e, em seguida, os Jogos Asiáticos, na Indonésia, nos quais ele disputou seis partidas em 18 dias, sob um calor sufocante.

O superastro do futebol sul-coreano voltou ao Tottenham nesta quarta-feira (12) trazendo uma medalha de ouro, uma isenção do serviço militar em seu país de origem, e provavelmente pernas muito cansadas.

Mas seu trabalho árduo não para aí.

Son tem a difícil tarefa de reconquistar sua posição no time titular do Tottenham, já que o colega Lucas Moura se saiu muito bem durante sua ausência, nas três últimas partidas do clube pelo Campeonato Inglês.

Os três gols do brasileiro –dois dos quais contra o Manchester United, na casa do adversário– o ajudaram a conquistar o prêmio de melhor jogador do campeonato em agosto, e isso criou um dilema para  o treinador Mauricio Pochettino, do Tottenham, agora que Son está de volta.

Son Heung-min comemora a medalha de ouro da Coreia do Sul nos Jogos Asiáticos
Son Heung-min comemora a medalha de ouro da Coreia do Sul nos Jogos Asiáticos - Bernat Armangue/Associated Press

A boa forma de Lucas dará a Pochettino a opção de conceder a Son um merecido repouso? Afinal, o ala mal parou desde que se uniu à seleção da Coreia do Sul em maio, para os amistosos preparatórios da Copa do Mundo. E como se ele já não tivesse jogado o bastante nas últimas semanas, Son ficou em campo quase todos o tempo nos amistosos de sua seleção contra a Costa Rica e o Chile, nos últimos dias. Mas ao que parece Son, 26, não quer descanso.

"A fadiga não passa de uma desculpa", disse Son depois do empate em 0 a 0 com o Chile, na terça-feira (11).

O calendário frenético do Tottenham nas próximas semanas pode exigir que Pochettino coloque Son em ação quase imediatamente.

Um jogo em casa contra o Liverpool no sábado (15) abre uma série de sete partidas em 22 dias para o clube londrino, em três torneios diferentes. Elas incluem o primeiro jogo da Liga dos Campões, e a tarefa do time na fase de grupos não será fácil: o Tottenham joga contra a Inter de Milão e o Barcelona nas duas primeiras rodadas do torneio.

Son Heung-Min (à dir.) durante amistoso de pré-temporada contra o Barcelona
Son Heung-Min (à dir.) durante amistoso de pré-temporada contra o Barcelona - Zhao Hanrong/Xinhua

Há a possibilidade de que Son não seja titular contra o Liverpool no estádio de Wembley –ainda que a ausência de Dele Alli, por conta de uma lesão, deixe uma vaga na linha ofensiva–, mas ele deve voltar ao time para a viagem a Milão, três dias depois.

Não será fácil tirar Lucas do time. O brasileiro marcou mais gols do que Harry Kane na atual temporada, muitas vezes jogando mais adiantado do que o centroavante inglês, entrando na área pela ponta direita. A tática parece semelhante à adotada pelo Liverpool, no qual o atacante Mohamed Salah muitas vezes joga mais adiantado, pela direita, do que o centroavante Roberto Firmino, que ocasionalmente volta para buscar jogo, como Kane.

Lucas Moura comemora após marcar em vitória do Tottenham sobre o Manchester United
Lucas Moura comemora após marcar em vitória do Tottenham sobre o Manchester United - Andrew Yates/Reuters

A temporada passada foi a melhor de Son no Tottenham; ele fez 18 gols em todas as competições do clube, e em diversas partidas substituiu Kane no ataque, além de jogar em sua posição de origem, a ala esquerda.

Com Erik Lamela disputando vaga no ataque e Alli e Christian Eriksen vistos como donos de suas posições no time de Pochettino, o treinador jamais dispôs de tantas opções ofensivas.

O Tottenham estreou na Premier League com três vitórias consecutivas, e em seguida perdeu para o Watford por 2 a 1, logo antes da parada para competições internacionais.

Associated Press

Tradução de Paulo Migliacci

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.