Homens receberam mais advertências do que mulheres no tênis, diz jornal

Segundo o The Telegraph, foram 1.534 punições contra 526 nos últimos 20 anos

Serena Williams discute com o árbitro Carlos Ramos durante a final do Aberto dos Estados Unidos
Serena Williams discute com o árbitro Carlos Ramos durante a final do Aberto dos Estados Unidos - Alex Pantling - 8.set.2018/Getty Images/AFP
São Paulo

Um levantamento feito pelo jornal inglês The Telegraph mostra que as reclamações de Katrina Adams, presidente da USTA (Associação de Tênis dos Estados Unidos), sobre a desigualdade nas punições entre homens e mulheres no tênis, não se comprovam pelos números.

O jornal levantou punições e advertências a tenistas de ambos os gêneros nos torneios da série Grand Slam desde 1998, período em que os homens receberam 1.534, contra 526 aplicadas às mulheres. O levantamento, porém, não leva em consideração a porcentagem de sanções aplicadas por infração.

A discussão tomou conta do mundo do tênis na última semana, após a briga envolvendo a americana Serena Williams e o árbitro de cadeira português Carlos Ramos, durante a final feminina do Aberto dos Estados Unidos.

Na ocasião, Serena foi advertida por ter recebido uma orientação de seu treinador, Patrick Mouratoglou, fato que tirou a americana do sério, dizendo que não precisa de trapaça para vencer.

Na sequência, ela recebeu nova punição, que lhe custou um ponto, por ter quebrado uma raquete durante um game. A americana seguiu discutindo com Ramos e chamou o árbitro de "ladrão", sofrendo nova punição na sequência, perdendo um game.

A vitória na final do Aberto dos Estados Unidos foi da japonesa Naomi Osaka, por 2 sets a 0.

Tanto Serena Williams quanto Katrina Adams, em entrevistas após o jogo, disseram que há discriminação contra as mulheres em relação às punições no tênis e que os homens não recebem as mesmas penalizações por faltas semelhantes.

As estatísticas levantadas pelo The Telegraph demonstram que no último Aberto dos Estados Unidos, foram 86 violações de código aplicadas contra homens, contra 22 para as mulheres. Novamente, não foram contabilizadas quantas vezes homens e mulheres teriam cometido uma infração, mas deixaram de ser advertidos.

A análise das punições em 20 anos de Grand Slams demonstra que os homens foram responsáveis por 86% de violações do código por abuso de raquete, caso idêntico ao que levou à perda de um ponto para Serena Williams na final do último sábado (8).

Em relação ao abuso verbal, os homens foram responsáveis por 80% de violações no mesmo período.

O português Carlos Ramos está escalado para atuar no confronto entre Croácia e Estados Unidos pela Copa Davis, em Zagreb, que começou nesta sexta-feira (14).

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.