Descrição de chapéu Seleção Brasileira

Novatos, Paquetá e Everton dizem se adequar às preferências de Tite

Meio-campista do Flamengo e atacante do Grêmio se apresentam em Nova Jersey

Danielle Brant
Nova Jersey

Dois dos nomes convocados pela primeira vez para atuar pela seleção brasileira, o meio-campista Lucas Paquetá (Flamengo) e o atacante Everton (Grêmio) ainda aguardam orientações de Tite sobre o papel que cada um pode desempenhar na equipe.

Ambos foram chamados para os dois jogos da seleção, que enfrenta os EUA, na sexta (7), em Nova Jersey, e El Salvador, na terça (11), em Washington.

Nesta segunda-feira (3), em entrevista no hotel em que a seleção brasileira está hospedada em Nova Jersey, os dois disseram que só conversaram brevemente com Tite após a convocação.

 
Everton, do Grêmio e Lucas Paquetá, do Flamengo, durante entrevista em Nova Jersey
Everton, do Grêmio e Lucas Paquetá, do Flamengo, durante entrevista em Nova Jersey - Lucas Figueiredo/CBF

“Ainda não conversamos. Ele ligou para dar parabéns. Estamos aqui para buscar nosso espaço e para dar o melhor para a seleção”, afirmou Paquetá.

Questionado sobre ocupar o espaço deixado por Renato Augusto, que pediu dispensa do amistoso por problemas pessoais, o jogador do Flamengo desconversou. “É uma posição em que eu sempre joguei dentro de casa, mas vou me encaixar onde o professor decidir”, disse.

Everton também ressaltou que está pronto para jogar onde Tite decidir. “Estou preparado para atuar pela esquerda ou pela direita, onde o professor achar melhor.”

O atacante reconheceu que seu desempenho tem melhorado com o tempo. Em 2016, ele era reserva da equipe. “Eu deixava a desejar, mas é uma evolução que vem dando resultado. Tenho trabalhado e estou sendo recompensado por esse trabalho”.

No primeiro jogo depois da eliminação para a Bélgica na Copa do Mundo, Paquetá afirmou que a meta agora é fazer um bom trabalho para assegurar novas convocações em outros amistosos. “Esse tem que ser o pensamento, passo a passo. Viver o hoje para que o objetivo seja alcançado”, afirmou.

Na tarde desta segunda-feira, 20 dos 23 confirmados no amistoso fizeram um treino leve de 1 hora e 20 minutos na arena Red Bull, em meio ao calor de mais de 30 graus Celsius que fazia em Nova Jersey. Philippe Coutinho e Arthur, do Barcelona foram do hotel direto para o treino.

Os três goleiros convocados (Alisson, Neto e Hugo) foram supervisionados pelo preparador Taffarel, campeão com a equipe de 1994.

Depois, os jogadores que aqueciam no centro do gramado foram separados em dois grupos, com base no desgaste sofrido no final de semana. Um ficou treinando com bola, observado pelo técnico Tite no centro do gramado, e outro ficou fazendo alongamento e recuperação muscular.

Depois do treino, o atacante Richarlison (Everton) e o meio-campista Andreas Pereira (Manchester United) falaram sobre a convocação.

Richarlison falou sobre o fato de substituir Pedro, do Fluminense, cortado depois de uma lesão. “Estou feliz pela oportunidade, mas triste pelo Pedro, que é um amigo meu”, disse o atacante, ex-Fluminense.

“Pedro é um grande irmão para mim. Quando chegou a convocação, liguei para ele na hora, parabenizando. Na hora que ele se lesionou, o coração até doeu, porque o cara é trabalhador, lutou para chegar nesse momento. Tenho certeza que em breve ele vai estar na seleção com a gente.”

Assim como Paquetá e Everton, Andreas ainda aguarda para saber como vai se encaixar na equipe montada por Tite. “Sou meio-campista, mas posso jogar como primeiro ou segundo volante ou como camisa 10. Disputo uma vaga no meio-campo e vou dar o melhor para conquistar essa posição”, afirmou.

Para ele, os amistosos marcam o começo de um novo ciclo. “Temos que focar e manter o nível, fazer o melhor para conseguir essa regularidade. Vamos primeiro pensar na Copa América e depois ver passo a passo”, afirmou.

O segundo treino da seleção, nesta terça, deve contar com os três nomes que faltam. O zagueiro Felipe, do Porto, chegou nesta segunda, mas não treinou. Já o lateral direito Éder Militão, também do Porto, e o zagueiro Dedé, do Cruzeiro, devem se apresentar nesta terça.

Militão, ex-jogador do São Paulo, foi o último nome anunciado para os amistosos contra EUA e El Salvador. Tite convocou 24 jogadores para o primeiro amistoso da seleção depois da eliminação na Copa do Mundo. Deles, 11 eram novidades em relação à Copa, como Lucas Paquetá, meio-campista do Flamengo, Everton, atacante do Grêmio, e os zagueiros Dedé e Felipe.

Da lista original, Fagner, lateral direito do Corinthians, e Pedro, atacante do Fluminense e um dos artilheiros do Campeonato Brasileiro, se lesionaram e foram cortados.

Fagner foi substituído por Militão. Richarlison, do Everton (ING), foi escolhido para a vaga e Pedro.

O meia Renato Augusto, do chinês Beijing Guoan, pediu para não jogar por problemas particulares. Tite não anunciou ninguém para a vaga dele.

Até o final do ano, a seleção deve disputar mais quatro amistosos, ainda sem adversários definidos.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.