Descrição de chapéu Velocidade

Pentacampeão de F-1, Hamilton iguala Fangio e mira recorde de Schumacher

Apenas o alemão, heptacampeão, ostenta mais títulos que os dois

São Paulo

Ao chegar em quarto lugar no GP do México neste domingo (28), o inglês Lewis Hamilton, da Mercedes, conquistou o seu quinto título mundial na F-1.

Com a mão para o alto, Lewis Hamilton comemora o quarto lugar no México que lhe deu o quinto título mundial da F-1
Lewis Hamilton comemora o quarto lugar no México que lhe deu o quinto título mundial da F-1 - Tomas Stargardter/Associated Press

A conquista fez o britânico igualar o feito de Emanuel Fangio e se colocar como capaz de bater a marca do recordista em títulos, Michael Schumacher, 49, que venceu o Mundial de Pilotos sete vezes.

Com históricos e estilos diferentes, Hamilton e Schumacher se igualam num ponto na trajetória: a precocidade e a conquista de troféus em sequência.

No primeiro quesito, o atual campeão até está à frente do alemão, que venceu o seu primeiro título em 1994, com 25 anos. O britânico tinha 23 na sua primeira conquista, em 2008.

A ascensão do alemão, porém, foi mais rápida depois da primeira conquista. Levou o seu segundo campeonato já no ano seguinte, enquanto o inglês demorou seis anos para chegar ao bi.

A diferença de idade que tinham em cada conquista, porém, foi pouca. Hamilton chega ao seu quinto título aos 33 anos, mesma idade que o alemão tinha quando conquistou o penta.

Portanto, tempo Hamilton terá para igualar o maior campeão da F-1.

Usando como comparativo o próprio Schumacher, que se aposentou pela primeira vez em 2006 aos 37 anos, Hamilton ainda teria quatro anos para conquistar mais dois títulos. O alemão ainda voltou às pistas entre 2010 e 2012, mas sem repetir o sucesso anterior.

Hoje na F-1 apenas dois pilotos são mais velhos que o inglês: Fernando Alonso (35 anos), que já anunciou que se aposentará no final do ano, e Kimi Rakkonen (37 anos), que trocará a Ferrari pela Sauber no ano que vem.

Apesar da idade, Hamilton renovou, em julho, seu contrato com a Mercedes, estendendo-o até 2020. Na ocasião, aproveitou para comentar a possibilidade de igualar o recorde de Schumacher.

"Para mim, isso parece um número inimaginável. Não faz sentido pensar que você vai ganhar todos os campeonatos a partir de agora até o fim do contrato. Esse seria o sonho, o cenário perfeito e nada funciona perfeitamente em geral", afirmou.

Ao mesmo tempo, o piloto se disse empolgado com o momento que vivia e estar "muito, muito consciente de quanto tempo tenho" até a aposentadoria.​

Em 2007, quando Hamilton estreou na F-1, Schumacher já se mostrava atento ao futuro talento que ali surgia.

"Ele é muito talentoso, não é uma surpresa que ele tenha tido sucesso. Para mim não é uma surpresa que ele tenha surgido dessa forma, mas é surpreendente quão consistente ele é, mesmo tão cedo", disse o alemão na época.

Se no começo da carreira Hamilton tinha um estilo bastante diferente de Schumacher, cometendo muitos erros e dirigindo de maneira quase inconsequente, hoje o britânico já se aproxima mais do lendário piloto alemão, com uma direção completa e levando o carro ao limite.

Não surpreende, portanto, que o debate sobre o lugar de Hamilton na história da modalidade comece a esquentar. Recentemente a lenda do automobilismo Jacques Villeneuve declarou que "classificaria Lewis Hamilton acima de Schumacher, por milhas".

Nico Rosberg, antigo companheiro (e desafeto) de Hamilton na equipe Mercedes, também vê o piloto inglês com capacidade de bater a marca de Schumacher.

"Ele pode realmente tentar se tornar o melhor de todos os tempos em termos de estatísticas, o que é surreal, mas é uma possibilidade, e tenho certeza que isso o deixará motivado”, afirmou o piloto alemão, que antes de ter Hamilton como seu companheiro de equipe dividiu os boxes da Mercedes com o heptacampeão mundial, de 2010 a 2012.

No dia 29 de dezembro de 2013, Schumacher sofreu um acidente de esqui nos Alpes Franceses. Ele foi internado e ficou em coma por quase um ano. No final de 2014 foi liberado para fazer sua reabilitação em casa, onde continua até hoje.

Neste ano, o próprio Hamilton prestou homenagem ao lendário piloto.

"Michael, no ano passado foi uma verdadeira honra igualar o seu recorde de mais pole positions na história, com 68. Palavras não podem descrever como foi alcançar o feito de uma inspiração de vida e de um herói. Eu rezo por você e sua família sempre. Continue lutando, Michael", postou no Twitter junto com um vídeo da volta que lhe fez igualar a histórica marca.

Agora com cinco títulos e 33 anos resta saber até quando Hamilton seguirá pilotando em alto nível e se conseguirá alcançar mais uma marca em sua carreira.

Hamilton sagrou-se campeão no México e igualou o argentino Juan Manuel Fangio
Hamilton sagrou-se campeão no México e igualou o argentino Juan Manuel Fangio - Mark Thompson/AFP

O inglês garantiu seu quinto título no domingo, na Cidade do México, em uma prova tranquila. Saindo em terceiro lugar, ultrapassou o australiano Daniel Ricciardo logo na largada.

Na 12ª volta, o inglês entrou aos boxes para trocar os pneus. Seis voltas depois, ele já estava na segunda posição novamente. A prova foi liderada de ponta a ponta por Verstappen.

O inglês caiu para o terceiro lugar, sendo ultrapassado por Vettel na 39ª volta. Mesmo assim, estava em uma posição tranquila para garantir o título do campeonato.

Pressionado por Ricciardo, Hamilton saiu da pista ao fazer uma curva. Depois de ser ultrapassado, o inglês foi para os boxes para trocar os pneus.

Faltando 20 voltas para o fim da corrida, ele ocupava a quinta posição. Mais tarde, ganharia uma com a quebra do carro de Ricciardo. No fim, o quarto lugar foi mais do que suficiente para ele garantir o penta –como Vettel terminou em segundo, ele conquistaria o título mesmo se não terminasse a prova.

Faltam duas corridas para fim da temporada. A próxima etapa do Mundial de F-1 será realizada em São Paulo, o GP Brasil, no dia 11 de novembro. A última está marcada para o dia 25 de novembro nos Emirados Árabes.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.