Descrição de chapéu Seleção Brasileira

Fora da seleção desde a Copa, Marcelo perde metade dos jogos na era Tite

Lateral não enfrenta o Uruguai nesta sexta (16) e nem Camarões na terça (20)

Bruno Rodrigues Luiz Cosenzo
São Paulo

Considerado titular da seleção brasileira, o lateral esquerdo Marcelo, 30, começa a ver sua vaga ameaçada com as consecutivas lesões e a afirmação de concorrentes para a posição, como Filipe Luís, 33, e Alex Sandro, 27.

Dos 32 jogos que Tite completará no comando da equipe brasileira ao final de 2018, o lateral ficou fora da metade, sendo oito vezes por contusões musculares e uma em razão de um espasmo na coluna durante o Mundial. Ele ainda perdeu duas rodadas das eliminatórias por suspensão e em cinco partidas não foi convocado.

Marcelo ainda não atuou pela seleção depois da Copa do Mundo na Rússia
Marcelo ainda não atuou pela seleção depois da Copa do Mundo na Rússia - Eduardo Knapp/Folhapress

Pela terceira vez desde o fim do Mundial da Rússia, o jogador desfalcará o time brasileiro. Ele ficou fora dos dois primeiros amistosos após a Copa por opção de Tite e agora dos quatro últimos por problemas físicos. 

Contra Arábia Saudita e Argentina, no mês passado, foi cortado após ser diagnosticado com uma lesão na panturrilha direita, que o deixou fora por 20 dias de jogos do Real Madrid. Ele voltou diante do Levante —quatro dias após o amistoso do Brasil.

Agora, não jogará contra o Uruguai nesta sexta-feira (16), às 18h (horário de Brasília), no Emirates Stadium, em Londres, e nem diante de Camarões, na próxima terça (20), em razão de uma lesão muscular sofrida na coxa direita contra o Barcelona há 18 dias. 

De acordo com a seleção, “a conversa entre o médico da equipe e os médicos dos clubes seguem uma rotina. Sempre há um acompanhamento e contato para avaliações da recuperação do atleta. A comissão técnica continuará observando o atleta, assim como observa outros jogadores que passaram por lesão”.

Procurada, a assessoria do atleta afirmou que Marcelo se pronuncia somente por meio de seu canal no YouTube.

Em 2016, Dunga, técnico da seleção na época, questionou o comportamento de Marcelo, que não comunicou o departamento médico da equipe brasileira que havia se recuperado de lesão.

“O jogador que quer estar na seleção, deve ter atitude, responsabilidade e comprometimento. Não adianta querer estar na seleção. Deve querer jogar pela seleção”, disse o treinador ao UOL em 2016.

Apesar da concorrência, os números de Marcelo ainda são superiores aos seus rivais. No total, tem 1.276 minutos em campo com Tite. 

Filipe Luís e Alex Sandro, porém, estão aproveitando as oportunidades. 

O jogador do Atlético de Madri substituiu Marcelo durante o jogo contra a Sérvia, pela última rodada da primeira fase da Copa do Mundo. Ele teve uma boa atuação e foi mantido contra o México, quando o titular ainda se recuperava do espasmo na coluna. 

Com o bom desempenho, foi cogitado para jogar diante da Bélgica nas quartas de final, mas foi preterido com a recuperação de Marcelo. 

“Conversei com os dois. Marcelo saiu por um problema clínico e não voltou contra o México por um problema físico. Filipe Luís foi muito bem, existe a competição entre os dois, mas por critério volta o Marcelo”, disse o treinador à época, que não adotou o mesmo critério após a recuperação do lateral direito Danilo (que se lesionou e perdeu a titularidade para Fagner no Mundial da Rússia).

Filipe Luís e Marcelo têm características diferentes. O atleta do Real Madrid tem como ponto forte o apoio ao ataque e o jogador do Atlético de Madri é mais marcador.

O lateral do Atlético foi convocado para todos os amistosos do Brasil após o Mundial --contra Arábia Saudita e Argentina, foi chamado após o corte do camisa 12.

Já Alex Sandro é visto como a principal aposta para o Mundial do Qatar, em 2022. Revelado no Atlético-PR e com passagens por Santos e Porto antes de chegar à Juventus, seu atual clube, o lateral brigou até o último momento com Filipe Luís para a reserva de Marcelo na Rússia. 

Já neste ciclo para o próximo mundial, foi titular contra El Salvador e diante dos sauditas, quando marcou um gol na vitória por 2 a 0

Alex Sandro, que tinha a característica ofensiva como seu ponto forte, mostra cada vez mais uma consciência defensiva, o que agrada Tite. 

A ausência de Marcelo faz a seleção perder o entrosamento pelo lado esquerdo do campo. Tite também não contará nos amistosos com Coutinho, que está lesionado. No Mundial, ele atuou do lado esquerdo do campo. O volante Casemiro é outro titular na Copa que também foi cortado.

BRASIL
URUGUAI

16/11 - 18h, Emirates Stadium, Londres
Na TV: Globo e SporTV
 

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.