Descrição de chapéu Agora Campeonato Paulista

Felipão radicaliza rodízio no Palmeiras e reveza goleiros

Weverton, Fernando Prass e Jailson disputam preferência do treinador

Rafaela Cardoso
São Paulo | Agora

Por mais que uma equipe mude várias vezes a sua escalação, a posição do goleiro costuma ter um nome fixo. A menos que essa equipe seja o Palmeiras de Luiz Felipe Scolari.

O técnico tem feito testes no time e estendido o rodízio para os goleiros. Na estreia do Campeonato Paulista, Weverton entrou. Na segunda rodada foi a vez de Fernando Prass e, por último, Jailson. Em três jogos, três goleiros diferentes.

A troca no gol causa certa estranheza, principalmente, para ex-goleiros consagrados, como é o caso de Velloso, 50. O ex-atleta foi revelado pelas categorias de base do clube e chegou à titularidade alviverde em 1989, onde permaneceu por dois anos. Retornou pouco depois para formar um currículo vitorioso no clube.

“Eu só acho válido esse rodízio se realmente houver alguma dúvida de quem deve ser o titular. Se ele [Felipão] não tiver dúvida, acho que é ruim”, disse Velloso, em entrevista à Folha.

A história do Palmeiras é marcada por grandes goleiros: Oberdan Cattani, Leão, Marcos e o próprio Velloso são alguns exemplos.

"O goleiro é uma posição completamente diferente. Precisa de ritmo, precisa ter confiança. Se Felipão tiver dúvida, precisa definir logo e colocar o goleiro para jogar, como fez no ano passado”, completou o ex-jogador, que acha que Jailson deveria começar o Estadual como titular.


Na opinião de ex-goleiro, não há necessidade da rotatividade na meta, pois o desgaste físico não é o mesmo dos jogadores de linha.

“O goleiro é mais o desgaste emocional, da concentração, da tensão de jogo. Não tem problema em jogar duas vezes por semana, é até bom", afirma.

As três opções de Scolari já foram titulares e viveram boas fases no Palmeiras. O mais novo deles é Weverton, 31, seguido por Jailson, 37, e Fernando Prass, 41. Todos eles foram campeões pelo time paulista.

Weverton parece concordar com Velloso no que diz respeito à sequência de jogos para melhorar o ritmo no decorrer das competições.

“É óbvio que, para o goleiro, quanto mais se joga, mais ritmo se tem e mais rapidamente entra em forma. Mas a gente está aqui para respeitar a decisão do Felipão. Ele é nosso comandante e tem tomado as melhores decisões possíveis”, afirmou.

Jailson, que não atuava desde 23 de setembro, na vitória por 1 a 0 sobre o Sport, na Ilha do Retiro, disse que se sentiu muito bem e espera por mais oportunidades. 

 
Ex-goleiro Velloso treina durante jogo festivo
Ex-goleiro Velloso treina durante jogo festivo - Daniel Guimarães/Folhapress

“Nós estamos acostumados. Com esse revezamento, o Felipão faz com que todos os jogadores se sintam importantes no grupo. Sem dúvidas isso traz motivação e confiança para todos, e comigo não é diferente,” disse o camisa 42. 

Já o veterano Fernando Prass, afirma que a pressão de quem assume a meta da equipe é grande em razão da academia de goleiros do clube. No entanto, ele deixa a decisão para Felipão e prefere não opinar.

“Isso é com o treinador, não gosto muito de falar. Pela experiência que o Felipão tem, ele saberá fazer da melhor forma possível”, disse Prass, em dezembro.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.