Descrição de chapéu Agora

Na terceira divisão, Túlio treina duas vezes por semana e quer jogar até os 50

Atacante vai jogar Série A-3 do Paulista pelo Taboão da Serra

São Paulo | Agora

“É aquela coisa: treinar pouco e jogar muito”. O aviso é de Túlio, 49, novidade do Taboão da Serra, na Série A-3, terceira divisão do Campeonato Paulista.

O veterano atacante que acumula, segundo suas contas, mais de mil gols, deve estrear no clube paulista neste sábado, na abertura do Estadual, contra o Audax, às 16h, no estádio Municipal Antônio Soares de Oliveira, em Guarulhos.

Túlio durante treino do Taboão da Serra
Túlio durante treino do Taboão da Serra - Jardiel Carvalho/Folhapress

O acordo do atacante com o clube é para atuar, obrigatoriamente, em cinco partidas, todas dentro de casa. Apesar da condição contratual, Túlio jura que sua forma física o permite jogar por mais vezes. “Estou com pique de garoto e entusiasmo de estreante”, diz o atacante que promete pelo menos um gol por partida.

“Espero poder jogar até os 50 anos (ele faz aniversário em 2 de junho). Meu contrato é justamente de cinco jogos. Quero poder encerrar a carreira com 1.005 gols”, afirmou à Folha.

O ídolo do Botafogo atuará com a camisa 1.000 do Taboão. O número não será fixo e mudará de acordo com os gols que ele marcar.

O atacante terá tratamento diferenciado na equipe. Fará treinos apenas duas vezes por semana, antes de cada jogo. Ele prioriza a sala de musculação para fortalecimento muscular.

 

“Meu percentual de gordura é de 8.8. Estou dando exemplo à garotada, pois me cuido muito. Meu peso no auge da carreira era 72 kg, hoje estou com 76 kg”, afirma.

Aos 49 anos, diz que dará visibilidade ao clube. O curioso é que Túlio é 9 anos mais velho que o técnico do Taboão, o ex-lateral Baiano, que já defendeu o Palmeiras e Atlético-MG.

“Já virou notícia no Brasil e no mundo. Serei o maior artilheiro em atividade, superando Cristiano Ronaldo e Messi. Eles têm 600, 650 gols. Eu tenho mil”, diz. 

Revelado pelo Goiás, Túlio já passou por clubes brasileiros como Botafogo, Corinthians, Fluminense e Cruzeiro, além de ter atuado no exterior - Sion, da Suíça, e Al-Shabab, da Arábia Saudita. Foram 32 camisas diferentes ao longo da carreira.

“Vou ensinar os jovens. Técnicas, principalmente, para os atacantes, ensinar como se faz gols. Meu objetivo maior é esse, passar toda minha experiência para a garotada do Taboão, assim como foi em todos os clubes em que eu passei”, afirma.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.