Confederação e liga de basquete sinalizam trégua em relação conturbada

Em acordo, LNB concorda em usar torneio da CBB como acesso ao NBB

Daniel E. de Castro
Rio de Janeiro

Após meses marcados pelo estremecimento nas relações entre CBB (Confederação Brasileira de Basketball) e LNB (Liga Nacional de Basquete), as principais entidades que comandam o esporte no país mudaram o tom e passaram a falar sobre uma parceria para lidar com os temas que causam divergências.

Uma reunião realizada no Rio de Janeiro no sábado (16), enquanto a cidade recebia o torneio intercontinental de clubes da Fiba (Federação Internacional de Basquete), serviu para aparar as arestas do relacionamento.

O encontro teve a presença de representantes da confederação, da liga e da entidade internacional. CBB e LNB confirmaram à Folha que divulgarão nos próximos dias um pronunciamento conjunto sobre o assunto.

“Como todos estão querendo remar para o mesmo lado, as coisas se esclarecem muito rapidamente e vamos em frente. Definitivamente, estamos juntos”, afirmou o secretário-geral da CBB, Carlos Fontenelle.

Já a liga se manifestou em nota enviada à reportagem: “Tivemos uma reunião muito importante com a CBB. Os pontos que não estavam de acordo entre as entidades eram poucos, e conseguimos um entendimento rápido sobre isso."

A tensão tornou-se pública em dezembro, quando a confederação divulgou uma série de regras que a liga deve respeitar para manter o direito de organizar o NBB (Novo Basquete Brasil), principal campeonato do país desde 2009 e que tem a chancela da CBB.

Os problemas, porém, já eram latentes pelo menos desde outubro, quando a confederação anunciou a criação do seu Campeonato Brasileiro de Clubes. A medida foi vista por integrantes da liga como uma provocação e possível tentativa de rivalizar com o NBB, já que em nenhum momento a CBB dizia se tratar de um torneio de segunda divisão.

Hoje a divisão que dá acesso ao NBB é a Liga Ouro, também organizada pela LNB. A confederação, porém, voltará a ser a responsável pelas divisões de acesso a partir da próxima temporada.

“Segundo levantamento que fizemos com o Ibope no fim de 2017, são mil equipes adultas jogando no Brasil. O NBB tem as 14 melhores, mas temos que criar mais material humano, até para eles conseguirem crescer”, diz Fontenelle.

No último dia 9, durante o Jogo das Estrelas do NBB, realizado em Franca (SP), o presidente da liga, Kouros Monadjemi, disse à Folha ter solicitado à confederação que “identificasse melhor” o seu campeonato.

Ginásio Paulo Sarasate lota para partida do Basquete Cearense pelo NBB
Ginásio Paulo Sarasate lota para partida do Basquete Cearense pelo NBB - Stephan Eilert - 16.abr.18/Basquete Cearense/Divulgação

“Ele mistura clubes de quarta divisão, terceira divisão, segunda divisão. A gente solicita, fica com a Liga Ouro como ela é, faz um outro campeonato para massificar o basquete, dali você leva para Liga Ouro, e de lá para o NBB”, afirmou.

Já Fontenelle defende a nomenclatura adotada pela confederação: “Em nenhum momento a CBB falou sobre campeonato de primeira divisão. É o campeonato brasileiro de basquete adulto. E tem o campeonato da liga de basquete, que é o melhor campeonato e está acima, tanto que o nosso é o que dará acesso a ele”.

Outro assunto que gerou divergência foi a maneira de lidar com a justiça desportiva. A CBB exige que a LNB use o tribunal da confederação nos seus campeonatos. A liga inicialmente tinha resistência e gostaria de manter uma corte própria, mas Monadjemi afirma que cedeu nesse ponto para “harmonizar o basquete”.

Embora o conteúdo da manifestação conjunta não tenha sido divulgado pelas entidades, a expectativa é de que o documento traga um posicionamento mais claro sobre essas questões.

Ainda segundo Fontenelle, as partes terão reuniões mensais a partir de agora. “A falta de diálogo constante acaba gerando ruídos que não fazem o menor sentido”, disse.

Entenda a conturbada relação entre CBB e LNB

Chancela
A confederação é a responsável por dar a chancela para que a liga, entidade comandada pelos clubes, organize o NBB, principal campeonato do país, que existe desde 2009

Segunda divisão
Hoje a segunda divisão do basquete nacional é a Liga Ouro, organizada pela LNB. A partir da próxima temporada, o acesso ao NBB será feito pelo Campeonato Brasileiro de Clubes, competição criada pela CBB. As entidades têm divergências sobre como a competição de acesso deve ser estruturada

Tribunal
A demora no julgamento de um processo pelo tribunal de justiça desportiva da CBB fez com que a liga defendesse o direito de ter uma corte própria. A CBB, porém, não abriu mão, e a liga acabou cedendo nesse ponto

Tensão
A relação entre as entidades ficou estremecida principalmente a partir de outubro do ano passado, quando a CBB lançou o seu Campeonato Brasileiro. Em dezembro, a confederação publicou uma lista de regras para que a LNB mantenha a chancela que permite a organização do NBB, causando desconforto na liga

Pacificação
As duas entidades dizem ter esclarecido pontos conflitantes durante uma reunião realizada no Rio de Janeiro no último sábado (16) e prometeram divulgar uma manifestação conjunta sobre o assunto nos próximos dias

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.