Descrição de chapéu Alalaô

Escola de samba de botafoguenses celebra gol de mão em homenagem a Túlio

Fundada por torcedores, a Botafogo Samba Clube faz sua estreia na avenida

O carnavalesco Tom Santos, da Botafogo Samba Clube, ao lado do busto do jogador Túlio Maravilha
O carnavalesco Tom Santos, da Botafogo Samba Clube, ao lado do busto do jogador Túlio Maravilha - Emerson Pereira/BSC/Divulgação
São Paulo

Ele jura que já fez mais de mil gols. Segundo o samba enredo da Botafogo Samba Clube, Túlio Maravilha, 49, está certo. 

A escola vai estrear na Série D —a quinta divisão Carnaval carioca—, na passarela da Intendente Magalhães, zona norte do Rio, e traz em samba enredo “Tulio, o Glorioso”,  um tributo ao ídolo do clube na década de 90.

“Rapaz, eu fiquei muito feliz por receber essa homenagem em vida. Tenho uma história de amor e conquistas com Botafogo”, disse o atacante, que aos 49 anos atua pelo Taboão da Serra, equipe da Série A3, a terceira divisão do Campeonato Paulista.

Túlio sempre foi um jogador irreverente e goleador. Pela equipe da estrela solitária alcançou o auge em 1995, com a conquista do Campeonato Brasileiro. Na ocasião, marcou 23 gols e terminou a competição como artilheiro.

O samba enredo em homenagem ao atacante cita outros ídolos da história do clube de General Severiano, como Garrincha e Nilton Santos, e também lembra e celebra o gol de Túlio pela seleção brasileira na Copa América de 1995, que ajudou a eliminar a rival Argentina da competição, em lance reclamado até hoje pelo país vizinho.

"Na seleção, sei que não se arrependeu / Em nos dar outra vitória / Ao usar a mão de Deus"

Na ocasião, o camisa nove recebeu lançamento na área, dominou a bola no braço e deu uma cavadinha por cima do goleiro Hernán Cristante. Foi o gol de empate (2 a 2) que levou a partida aos pênaltis e deu a oportunidade do Brasil vencer o arquirrival e ir à final contra o Uruguai —campeão sobre os brasileiros, também nas penalidades.

Evangélico, o veterano atleta diz que não poderá estar presente no desfile em sua homenagem, em razão de uma viagem com a família e desejou sorte aos integrantes da escola.

Sandro Lima, presidente da Botafogo Samba Clube, conta que a ideia de formar a escola de samba se deu para aproximar ainda mais seu círculo de amigos botafoguenses entusiastas do Carnaval.

“Somos um grupo de apaixonados pelo clube, mas cada um tinha sua escola de samba e era normal nos afastarmos da época dos ensaios até o desfile. Queríamos passar mais tempo juntos, então surgiu a oportunidade de assumir a Tupy”, conta.

Lima se refere à Tupy de Braz de Pina, uma tradicional escola fundada em 1948, que chegou a disputar a elite do Carnaval carioca em duas oportunidades na década de 50, mas que vivia uma forte crise nos últimos anos. Usando o CNPJ da antiga agremiação, os botafoguenses poderão levar as cores do clube alvinegro num desfile da série D, sem ter tido que passar pela E.

Apesar de ser uma escola de torcedores do Botafogo, a Samba Clube tem integrantes que torcem para equipes rivais em posições de destaque. O carnavalesco Tom Santos é flamenguista, e o intérprete Tiãozinho Cruz é Fluminense.

“A gente costuma dizer brincando que não procurou saber o time deles, até por causa do fanatismo que envolve o futebol. Os botafoguenses são 90% da escola, mas não procuramos ser unanimidade. Não vamos para a Sapucaí [um dia] com três mil botafoguenses", conta Lima.

A Botafogo Samba Clube não recebe ajuda financeira do time, segundo seu presidente, mas conta com o apoio da diretoria alvinegra na questão de espaço. “Eles nos cedem o estádio Nilton Santos para ensaios e até anunciaram no sistema de som em uma partida da equipe que havia vagas para desfilar na escola”, diz.

A agremiação será a 11ª escola a se apresentar, já na madrugada da segunda-feira (4) de Carnaval. Ela contará com 600 componentes no desfile e trará um carro alegórico e um tripé, com duas imagens de Túlio. Uma em alusão ao “gol de mão” contra a Argentina e outra à taça do Brasileiro de 1995.


"Túlio, o Glorioso"

Túlio Maravilha, nós gostamos de você
Faz mais um, pra gente ver
É o artilheiro do talento irreverente
Brilha a estrela solitária eternamente!

Um jeito de vencer o dia a dia
É viver as alegrias, da minha paixão
E o ídolo tocou o meu destino
Desde os tempos de menino, pra ser campeão!
Mil e tantas vezes sua sede
Ia balançando a rede pelos campos de Goiás
Na TV, ainda em preto e branco
O amor em alvinegro
Tantos craques imortais!

Na magia do mané
Todo mundo era João
Botafogo no maraca
No calor do furacão
As lições de Nilton Santos
Conduziram o seu caminho
E as vitórias gloriosas do escrete canarinho

Em seu maior desafio
Se tornou o rei do Rio
E conquistou o Brasil
Na Espanha, esbanjou sutileza
E trouxe Teresa, o povo aplaudiu
Na seleção, sei que não se arrependeu
Em nos dar outra vitória
Ao usar a mão de Deus
Fui escolhido, esse samba no meu peito incendiou
Ninguém cala o nosso amor!

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.