Um dia faremos tabelinha no céu, diz Pelé sobre Coutinho

O maior artilheiro da história diz que a parceria de ataque fez o Santos ser conhecido no mundo

Pelé, ao lado de Coutinho, durante lançamento de livro realizada em 2015, em Santos
Pelé, ao lado de Coutinho, durante lançamento de livro realizada em 2015, em Santos - Nelson Almeida-11.mar.2015/AFP
São Paulo

Da mais famosa linha de ataque de clubes da história do futebol brasileiro (Dorval, Mengálvio, Coutinho, Pelé e Pepe), Coutinho foi o primeiro morrer. Minutos após a confirmação da morte do ex-atacante, aos 75 anos, Pelé manifestou seu pesar pela notícia.

“É uma grande perda. A tabelinha Pelé-Coutinho fez o Brasil ficar mais conhecido no mundo todo. Tenho certeza que um dia faremos tabelinha no céu. Minhas condolências à família“, disse o jogador que fez com Coutinho uma dupla lendária.

 

Coutinho morreu nesta segunda (11) à noite, em sua casa, em Santos. A causa ainda não foi confirmada. O velório deverá acontecer na Vila Belmiro, mas o horário ainda será divulgado.

Coutinho sofria há alguns anos de problemas de saúde decorrentes da diabetes. Teve de amputar dedos dos pés por causa disso. Também começava a apresentar Alzheimer. 

Apesar disso, ex-companheiros de Santos que estiveram com ele disseram que ele não havia mudado o temperamento.

" Tinha problemas de estômago e Alzheimer, mas sempre alegre. Sempre encontrava ele no bar tomando a cervejinha perto da Vila Belmiro. Batíamos papo. Onde estava Coutinho, estava a alegria. Um cara feliz", disse Pepe. 

Com 370 gols, Coutinho é o terceiro maior artilheiro da história do Santos, atrás de Pelé e Pepe.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.