Descrição de chapéu São Paulo Campeonato Paulista

Jardine diz que Florida Cup atrapalhou sua vida no São Paulo

Ex-técnico do clube se queixa de planejamento no início da temporada

Luiz Cosenzo Toni Assis
São Paulo

A noite de 13 de fevereiro ainda está viva na cabeça do técnico André Jardine. O apito final do juiz equatoriano Roddy Zambrano no empate sem gols com o Talleres (ARG), sentenciou a eliminação do São Paulo na fase de pré-Libertadores. Decretou também, o fim do seu ciclo no clube.

“Todo treinador quando não ganha ou perde um jogo importante fica por diversos dias remoendo isso. Comigo não é diferente.”

Pouco mais de dois meses se passaram desde a eliminação para o time o time argentino. Jardine, no entanto, ainda tenta entender o que deu errado no jogo que mudou a sua vida no clube.

Sua passagem pelo Morumbi deixou algumas cicatrizes.

“Foram algumas noites sem conseguir dormir. Não sei responder, ainda está bem recente. Muito dolorido”, afirmou à Folha.

Profissional com currículo vitorioso nas categorias de base, ele chegou ao clube do Morumbi em 2015. Foi efetivado como técnico do profissional no fim de novembro, após a demissão de Diego Aguirre.

Jardine aponta alguns fatos que, na opinião dele, comprometeram o seu trabalho no clube. A participação na Florida Cup, torneio preparatório disputado nos EUA em janeiro, foi um deles.

“Perdemos alguns dias de treinamento, pela viagem e pelo desgaste. Outro problema foi que pegamos dois adversários em um estágio muito acima. Para quem está buscando uma identidade, não é legal”, afirma.

No torneio, o São Paulo perdeu para o Eintracht Frankfurt (2 a 1) e para o Ajax (4 a 2). Na visão do treinador, essas partidas pouco somaram na formatação da equipe.

O técnico André Jardine durante treinamento do São Paulo no CT da Barra Funda
O técnico André Jardine durante treinamento do São Paulo no CT da Barra Funda - Luis Moura/Folhapress

A delegação viajou para os Estados Unidos no dia 4 de janeiro e retornou ao Brasil no dia 15. Nos dois confrontos, Jardine utilizou 26 atletas. Quatro dias depois do retorno ao Brasil, no dia 19, o São Paulo estreou no Paulista com uma goleada de 4 a 1 sobre o Mirassol no Pacaembu.

“Eu estava preocupado em formar um grupo vencedor. Mas a torcida não queria saber disso. A pressão ficou grande e a diretoria se viu obrigada a fazer isso”, disse o técnico.

Ainda segundo Jardine, outra dificuldade foi começar o trabalho com um grupo que praticava um futebol muito diferente do que ele queria. “Você tem que desconstruir muitas coisas para construir hábitos diferentes. E isso leva tempo”, concluiu.

Após a saída de Jardine e entrada de forma interina do coordenador Vagner Mancini até Cuca assumir, o time caiu ainda mais de produção e viveu dias turbulentos. Teve derrotas nos clássicos para Corinthians e Palmeiras. A classificação só veio na última rodada da primeira fase no empate fora de casa contra o rebaixado São Caetano em jogo que Tiago Volpi fechou o gol.

“Ficou muito claro que o problema não era apenas o treinador. Tanto que o São Paulo passou novamente por uma reformulação de elenco, se discutiu e fez novas contratações.”

O atacante Antony participa de treinamento técnico no CT do São Paulo
O atacante Antony participa de treinamento técnico no CT do São Paulo - Leo Martins/Folhapress

Se Jardine viveu meses de intensa pressão como técnico do São Paulo, o momento agora é outro. Convidado pelo ex-jogador Branco, ele vai assumir a seleção brasileira sub-20.

No novo cargo, ele acompanha o ex-clube, que disputa a final do Paulista com jogadores oriundos da base. 

“Eles podem ser protagonistas. Juntos fazem a equipe se tornar muito forte. Se eles não tivessem em campo, talvez o Corinthians fosse favorito. Hoje, não vejo favoritismo”, afirma. “Eles têm um futebol ofensivo, agressivo e envolvente, Juntos, são muito fortes", completa. 

Erramos: o texto foi alterado

Diferentemente do informado, a eliminação do São Paulo na Libertadores de 2019 foi no dia 13 de fevereiro. O texto foi corrigido e atualizado.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.