Descrição de chapéu Copa Libertadores

Cobrança por Libertadores extrapola em emboscada a ônibus do Palmeiras

Pouco antes de vitória, torcedores atiraram objetos no veículo da equipe

São Paulo
Antes de entrar em campo para vencer o Junior Barranquilla por 3 a 0, nesta quarta-feira (10), no Allianz Parque, pela quarta rodada da fase de grupos da Libertadores, o Palmeiras teve de lidar com um adversário inesperado: sua própria torcida.

O ônibus que levava os jogadores do clube para a partida foi alvo de emboscada de torcedores na avenida Francisco Matarazzo, em frente a um shopping, a poucos metros da arena palmeirense. Na chegada ao estádio, o veículo apresentava ao menos um vidro quebrado. Ninguém ficou ferido.
 
Antes de a bola começar a rolar, a Mancha Alviverde, maior torcida organizada do time, soltou gritos de “pipoqueiros” para os jogadores. 
 
Deyverson comemora o seu gol marcado na vitória do Palmeiras sobre o Junior Barranquilla - Amanda Perobelli/Reuters

"Não vamos dar visibilidade a quem não merece. É por isso que eles fazem. Eles não merecem. Hoje os jogadores jogaram, se dedicaram... O Brasil está em pé de guerra em todos os lados. Por tanta gente, vamos deixar as coisas assim e não vamos falar muito. Não adianta nada", disse Felipão após a partida.

"Você me viu com cara de assustado? Não tenho medo de bandido, ninguém tem aqui. Tenho respeito pelo clube e pelo nosso torcedor. Ninguém estava assustado. Eles, jogadores, enfrentaram isso com naturalidade. Não vamos dar visibilidade a quem não merece", completou. 

O Palmeiras também publicou uma nota sobre o incidente. "Condenamos a covarde agressão sofrida pela delegação da Sociedade Esportiva Palmeiras a caminho do Allianz Parque na noite desta quarta-feira. Esses vândalos não representam a torcida do Palmeiras".

Ainda de acordo com o clube, "o lamentável ataque ao ônibus da delegação foi denunciado à Polícia Militar para que sejam tomadas as devidas providências com nossa total colaboração".

A agressão e o protesto foram motivados pela sequência de maus resultados do time, que estava há três jogos sem marcar e que, no último domingo (7), foi eliminado nos pênaltis pelo São Paulo na semifinal do Paulista.

 
Após a eliminação no Estadual, o elenco já havia sido alvo de protestos, tanto na saída do time do Allianz Parque quanto na chegada ao centro de treinamento.

Nesta quarta-feira, a sede do clube foi pichada durante a madrugada. As mensagens pediam a saída do atacante colombiano Borja e da patrocinadora e conselheira Leila Pereira, além de chamar o time de “pipoqueiro” e de “vendida” a principal torcida organizada ligada ao clube.

Desde o início do ano, o Palmeiras vem falhando em apresentar bom futebol de uma forma consistente, apesar de não ter perdido nenhum jogador importante do elenco campeão brasileiro no ano passado e ter até se reforçado. 

Os sucessos recentes —nos últimos cinco anos o clube ganhou os Brasileiros de 2016 e 2018 e a Copa do Brasil de 2015— não diminuíram a cobrança da torcida por mais um título da Libertadores. Nesse período, o time conseguiu chegar apenas uma vez  (em 2018) na semifinal.
 
Dudu vibra com gol marcado na vitória do Palmeiras sobre o Junior Barranquilla
Dudu vibra com gol marcado na vitória do Palmeiras sobre o Junior Barranquilla - Amanda Perobelli/Reuters

Os jogadores palmeirenses responderam aos críticos com uma vitória tranquila.

O time entrou em campo com Zé Rafael, que perdeu o pênalti contra o São Paulo, no lugar de Ricardo Goulart. O jogador atuou pelo lado esquerdo, enquanto Dudu foi para o lado direito. Já Scarpa ficou mais centralizado. 

Ainda aos 19 min do primeiro tempo, após uma cobrança de falta, Dudu ficou com a sobra e tentou marcar por cobertura, mas foi Deyverson que completou de cabeça após rebote do goleiro. 

No início da etapa complementar o Palmeiras chegou ao segundo gol em um chute de fora da área de Dudu, que havia sido criticado por não ter cobrado um dos pênaltis na semifinal contra o São Paulo.
O terceiro, de Hyoran, saiu já no fim da partida, aos 43 min, após passe de Dudu.
 
A vitória que aproximou o time da classificação para as oitavas de final, porém, parece não ter acabada com as animosidades. Alertado sobre a possibilidade de novas emboscadas na saída do estádio, o Palmeiras pediu ajuda da polícia para escoltar o ônibus da equipe. Os jogadores não quiseram falar com a imprensa após a partida.
 
Os únicos brasileiros classificados por antecipação são Inter e Cruzeiro. O Athletico-PR está muito próximo da vaga. Por outro lado, o Atlético-MG está quase eliminado
 
 
 
 

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.