Sem verba da Caixa, NBB encolhe na TV e tem apagão nos playoffs

Patrocinadora da liga deixou de anunciar na ESPN, que suspendeu transmissões

Daniel E. de Castro
São Paulo

Anunciado pela Liga Nacional de Basquete (LNB) como trunfo no início da temporada, o modelo de transmissão multiplataforma das partidas do NBB (Novo Basquete Brasil), principal campeonato do país, chega à reta final da competição enfrentando problemas.

A ESPN, um dos seis canais de exibição do torneio desde outubro do ano passado, deixou de transmitir os jogos no início de fevereiro, logo após a realização do fim de semana das estrelas do NBB, evento para o qual deu grande visibilidade em sua programação.

A última partida com transmissão da emissora, que no início da temporada passava confrontos todas as terças-feiras, foi Flamengo contra Franca, no dia 5 de fevereiro.

“Devido a uma alteração no modelo de negócio que viabilizava as transmissões do NBB na ESPN, o campeonato deixou de ter momentaneamente as partidas transmitidas pela emissora”, afirmaram o canal e a LNB em nota conjunta enviada à reportagem.

A Folha apurou que a "alteração no modelo de negócio" citada é o fato de a Caixa Econômica Federal, também patrocinadora do NBB, ter deixado de anunciar no canal.

O acordo entre ESPN e liga estava vinculado à existência desses anúncios, e a ausência deles inviabiliza financeiramente as transmissões do basquete nacional.

A assessoria de imprensa da Caixa confirmou que a estatal não autorizou novas veiculações de campanhas publicitárias na emissora em 2019.

Esse não foi o primeiro obstáculo na relação entre a empresa e a LNB neste ano. Em fevereiro, o presidente da liga, Kouros Monadjemi, disse que o pagamento das verbas de patrocínio da Caixa à entidade estava atrasado.

Ele atribuiu isso ao início do novo governo. O contrato prevê o repasse de R$ 5,5 milhões anuais da estatal e vale até a próxima temporada.

“Como acontece em toda gestão, quando muda tem um hiato. A Caixa é uma entidade muito séria, acreditamos que vá cumprir seus acordos. Pode até não querer renovar, como aconteceu no futebol, mas acho que vão honrar [os contratos em vigor]”, Monadjemi disse na ocasião.

Torcedores em Franca durante o Jogo das Estrelas do NBB, último evento transmitido pela ESPN na temporada
Torcedores em Franca durante o Jogo das Estrelas do NBB, último evento transmitido pela ESPN na temporada - Fotojump - 9.fev.19/LNB

Questionada novamente sobre o assunto, a liga afirmou que o patrocínio da Caixa continua com seu fluxo normal, mas reconheceu que "há um trâmite maior com relação à análise dos projetos em razão da mudança da diretoria, para que a mesma tenha amplo conhecimento dos detalhes do patrocínio".

No ano passado, a liga inovou no modelo de transmissão criado para esta temporada. Após o fim do contrato com o Grupo Globo, seu parceiro durante dez anos, a LNB fechou acordo com seis plataformas: ESPN, BandSports, Band, Fox Sports, Twitter e Facebook.

A logística necessária para a transmissão dos jogos passou a ser bancada pela entidade, que criou um padrão único de geração de imagens e caracteres para os novos parceiros. A liga não informa quanto gasta com esse trabalho.

O atraso no pagamento do patrocínio à LNB explica o fato de a quantidade de jogos transmitidos em alguma das seis plataformas ter caído de 73,6% no primeiro turno para 63,7% no segundo (iniciado em 2019).

No total, 125 de 182 partidas (68,7%) da fase inicial tiveram exibição. O percentual está próximo dos 70%, meta estabelecida pela liga no começo da temporada, mas chama a atenção a diferença entre os turnos.

Considerando somente as emissoras de televisão, o número caiu de 37 jogos com transmissão no primeiro turno para 29 no segundo.

A Bandsports também ficou sem transmitir a competição, de 14 de fevereiro a 26 de março, mas retomou as exibições no fim da temporada regular e as manteve no início da fase de playoffs.

O contrato da liga com a Bandsports, porém, prevê exibições somente até a fase de oitavas de final do mata-mata. Nesse cenário, a partir das quartas de final o número de plataformas de exibição cairia de 6 para 4.

Nesta segunda-feira (8), a surpreendente classificação do Basquete Cearense para as quartas de final após vitória por 84 a 74 sobre o Paulistano ficou sem transmissão, contrariando os planos da liga de transmitir todos os jogos de playoffs, como na temporada passada.

Insatisfeita, a própria equipe do Ceará acabou bancando uma transmissão da partida, feita pela Rádio Arquibancada Esporte Clube, que começou com o jogo já em andamento.

Ainda que consiga manter a transmissão das demais partidas até o fim do campeonato nas outras plataformas, sem a ESPN a LNB perde um de seus principais parceiros de mídia.

O canal sempre foi tratado como joia da coroa do novo modelo multiplataforma, por já transmitir a NBA há muitos anos e ter forte identificação com fãs de basquete.

Até esta segunda não havia nenhuma mudança na posição da emissora. “A Liga Nacional de Basquete e ESPN buscam uma solução para retomar as transmissões do Novo Basquete Brasil ainda na fase final da atual temporada”, afirma a nota conjunta.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.