Descrição de chapéu Copa do Brasil São Paulo

Com pior ataque da elite, São Paulo precisa fazer gols para seguir na Copa do Brasil

Time precisa vencer por dois gols de diferença para garantir a vaga

Toni Assis
São Paulo

Com o pior ataque entre os times da Série A em 2019, o São Paulo enfrenta o Bahia nesta quarta (29), às 21h30 na Fonte Nova, e precisa vencer por dois gols de diferença para garantir a classificação às quartas de final da Copa do Brasil.

O clube perdeu o primeiro jogo por 1 a 0, no Morumbi. Se a vitória vier por um gol de vantagem, a partida será definida nos pênaltis. 

O técnico Cuca durante treinamento do São Paulo no Centro de Treinamento da Barra Funda
O técnico Cuca durante treinamento do São Paulo no Centro de Treinamento da Barra Funda - SAOPAULOFC/Divulgação

Somando os gols feitos no Campeonato Paulista (17) e nas seis rodadas do Nacional (6), o São Paulo marcou 23 vezes. Nas duas partidas que realizou na Libertadores contra o Talleres (ARG) e no jogo de ida contra o Bahia, o time passou em branco no placar. Até aqui são 27 partidas na temporada e uma média de 0,85 gol por jogo.

Entre os clubes que disputam a elite do futebol, a equipe do Morumbi é a que menos vezes vazou os goleiros rivais. Líder do Nacional, o Palmeiras marco 46 gols em 29 duelos em 2019 (1,58 por confronto). Com 61 gols, o Bahia é quem mais marcou.

Quarto colocado no Brasileiro, o São Paulo vem sofrendo com a queda de rendimento nas últimas partidas. Há três jogos sem marcar um gol, a equipe ainda acumulou duas derrotas e um empate.

O último jogador são-paulino a balançar a rede foi o meia Hernanes, que fez o tento da vitória de 1 a 0 sobre o Fortaleza, no dia 12/5.

Após a derrota de domingo para o Corinthians, o técnico Cuca conversou com seus jogadores sobre o jejum. O treinador espera, principalmente dos atletas mais experientes, a tranquilidade necessária para conseguir buscar o resultado que mantenha a equipe na Copa do Brasil.

Diante do caráter eliminatório da competição, o confronto ganha a importância. Uma eliminação ainda nas oitavas de final implicaria em mais uma crise na temporada —a primeira foi a queda na Libertadores que culminou com a demissão do então técnico André Jardine.

Neste curto espaço de tempo entre o clássico contra o Corinthians e o jogo desta quarta, Cuca ainda procura a melhor formação para tornar a equipe efetiva do meio para frente. Nos dois últimos duelos contra o Bahia, ele testou Hernanes e Igor Gomes na função de criação. Não teve sucesso.

Contra o Corinthians, Vitor Bueno, atleta recém-chegado ao clube, teve a missão de levar o time à frente, mas sentiu a falta de ritmo de jogo e acabou decepcionando.

Para piorar, Antony, 19, um dos destaques na armação das jogadas está fora. Ele vai defender a seleção brasileira sub-23 em Toulon e desfalca a equipe em mais três rodadas do Brasileiro: Cruzeiro, Avaí e Atlético-MG.

A seca de gols joga luz sobre um problema de rendimento dos atacantes. É o caso de Alexandre Pato, que marcou apenas uma vez em seis partidas que disputou.

“Sei que preciso melhorar, não estou 100% fisicamente, mas estou tentando fazer o melhor”, declarou.
À procura de um parceiro ideal, Cuca já testou o jovem Toró na frente. Em  Salvador estuda ainda a possibilidade de colocar Éverton mais aberto para explorar as jogadas de velocidade. Biro Biro, destaque do último treino pode ser uma opção entre os titulares.

No meio-campo, o volante Luan, recuperado de contusão, deve voltar para atuar ao lado de Tchê Tchê. Já o meia Nenê, que se machucou na última atividade, depende de uma avaliação médica.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.