Descrição de chapéu Copa do Mundo Feminina

Com técnico respaldado após nove derrotas, CBF anuncia convocadas para a Copa

Lista de 23 jogadoras que representarão o Brasil na França foi divulgada nesta quinta

Diego Garcia
Rio de Janeiro

​A CBF divulgou nesta quinta-feira (16) a lista de 23 convocadas para a Copa do Mundo feminina, que será disputada na França nos meses de junho e julho. E o técnico Oswaldo Alvarez, o Vadão, não escapou das perguntas sobre a péssima fase vivida pela seleção brasileira. 

A equipe vem de nove derrotas seguidas, mas o treinador foi mantido no cargo. E usou o exemplo de Tite para explicar o respaldo da direção da CBF.

"Não sei se você percebeu que essa gestão da CBF está fazendo diferente. No masculino, o Tite foi mantido. E agora, com esses resultados negativos, eu também tive a confiança do presidente [Rogério Caboclo]. É uma questão de confiança", analisou Vadão.

O mandatário máximo da entidade estava presente na convocação ao lado do coordenador de seleções, Edu Gaspar, do secretário-geral Walter Feldman e do vice Ednaldo Rodrigues, e balançou a cabeça positivamente após ser citado por Vadão.

O técnico Vadão está satisfeito com a confiança nele depositada pela CBF - Sergio Moraes/Reuters

Responsável pelo futebol feminino da CBF, o dirigente Marco Aurélio Cunha ainda citou um jogo-treino vencido pelo Brasil, contra o Canadá, no período correspondente aos reveses, para dizer que não se tratam de nove reveses consecutivos (seriam sete).

"Esse jogo existiu. Não computamos, mas vencemos por 1 a 0 (em 4 de setembro). Todos foram jogados fora de casa, mas, se fizer retrospecto de mandante e visitante, você vê vai ver como é difícil jogar fora de casa. Foram todas derrotas foram por placar apertado, não houve nenhuma acachapante", explicou Cunha.

No período, a seleção foi derrotada por EUA (4 a 1), Canadá (1 a 0), Inglaterra (1 a 0), França (3 a 1), Inglaterra (2 a 1), Japão (3 a 1), novamente EUA (1 a 0), Espanha (2 a 1) e Escócia (1 a 0).

"Você está citando um período negativo, mas a diretoria entendeu que no saldo temos mais positivo que negativo. Tenho experiência para lidar com esse tipo de coisa e tive apoio dentro da CBF. Tenho que dar minha resposta por terem dado confiança ao meu trabalho", acrescentou Vadão.

Antes da série de nove derrotas seguidas — que chega a 10 reveses nos últimos 11 jogos (venceu o Japão por 2 a 1 e perdeu para a Austrália por 3 a 1) —, o treinador venceu com a seleção a Copa América, após vitória contra o anfitrião Chile.

​A seleção estreia no dia 9 de junho, às 10h30, contra a Jamaica, em Grenoble, às 10h30 (de Brasília). Vadão analisou o adversário e o comparou o time do Caribe a equipes africanas.

"Temos a Jamaica, que é surpresa, pois nunca tinha participado, já tínhamos visto vários jogos. É uma equipe que não foge da característica do futebol africano, muita estatura, atacantes altas, que sabem proteger. Pressionada, vai esticar a bola nesta atacante. É uma equipe forte, veloz. E podemos explorar outras coisas que percebemos, distância entre as linhas. Equipe nos moldes africanos", disse Oswaldo Alvarez.

Depois, no dia 13, o Brasil enfrenta a Austrália, em Montpellier, às 13h, e encerra a participação na fase de grupos contra a Itália, em Valenciennes, às 16h.

Confira as 23 convocadas:

Goleiras
Aline (Tenerife)
Bárbara (Kindermann)
Letícia Izidoro (Corinthians)

Laterais
Fabiana Baiana (Internacional)
Letícia Santos (Sportclub Sand)
Tamires (Fortuna Hjorring)
Camilinha (Orlando Pride)

Zagueiras
Érika (Corinthians)
Kathellen (Bordeaux)
Mônica (Corinthians)
Tayla (Benfica)

Meio-campistas
Andressinha (Portland Thorns)
Formiga (PSG)
Adriana (Corinthians)
Thaisa (Milan)

Atacantes
Bia Zaneratto (Red Angels)
Cristiane (São Paulo)
Raquel (Huelva)
Debinha (NC Courage)
Geyse (Benfica)
Ludmila (Atlético de Madrid)
Marta (Orlando Pride)
Andressa Alves (Barcelona)

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.