Esquecido por Tite, Willian repete final que o projetou na Europa

Meia do Chelsea disputa nesta quarta (29) a decisão da Liga Europa contra o Arsenal

Luciano Trindade
São Paulo

Willian, 30, alimentava expectativa de ser convocado para a Copa América deste ano, afinal vive uma grande temporada pelo Chelsea, em seu sexto ano no clube londrino.

Com participação em quase um terço dos gols dos Blues na Liga Europa, ele é um dos principais responsáveis pela presença da equipe na decisão do torneio nesta quarta-feira (29), às 16h, diante do Arsenal, no estádio Olímpico de Baku, no Azerbaijão, com transmissão da Fox Sports.

O técnico Tite, no entanto, preteriu o atleta com o qual contou na última Copa do Mundo. "O Tite fez as escolhas dele, mas sem dúvida eu não tenho nenhuma mágoa", disse o meia-atacante, à Folha.

Para voltar à seleção num futuro próximo, Willian quer repetir diante do Arsenal a atuação que teve na final da Liga Europa 2008/09, quando levou o modesto Shakhtar Donetsk (UCR) ao seu primeiro título europeu.

"Aquele jogo nós vencemos na prorrogação, foram 120 minutos, então eu trago lições daquela partida para esta decisão também", diz. "Num jogo como este, tem de ter o corpo quente e mente fria."

Então com 21 anos, Willian demonstrou diante do Werder Bremen (ALE) justamente essa maturidade. Ele era um dos seis brasileiros que faziam parte do elenco do Shakhtar e teve grande atuação na final contra os alemães, em Istambul, na Turquia.

Jadson, atualmente no Corinthians, e Luiz Adriano, do Spartak Moscou, marcaram os gols da vitória do time ucraniano por 2 a 1, mas foi o meia-atacante o eleito melhor em campo. 

Naquela temporada, a legião de brasileiros do Shakhtar chamou atenção até de Pep Guardiola, então no comando do Barcelona.

"Os jogadores brasileiros que eles têm, os quatro jovens, são muito bons", disse o treinador na época, referindo-se a Willian, Jadson, Luiz Adriano e Fernandinho, este último atualmente sob o comando do espanhol no Manchester City.

Willian durante partida do Chelsea contra o Slavia Praha pelas quartas de final da Liga Europa
Willian durante partida do Chelsea contra o Slavia Praha pelas quartas de final da Liga Europa - AFP

Na atual campanha do Chelsea, Willian também se destaca. Os londrinos têm o melhor ataque da competição, com 32 gols, sendo 31% deles com participação do brasileiro, autor de três gols e de sete assistências –ele é o maior garçom da competição ao lado do bielorruso Stasevich, do Bate Borisov.

Para o atleta, em caso de título, esta será a campanha em que ele foi mais decisivo pelos Blues. "Eu venho fazendo uma boa Liga Europa, sendo decisivo, e espero que isso possa se repetir na final."​

O momento, ​aliás, é propício para ele assumir maior protagonismo. Segundo o jornal francês L'Equipe, o belga Hazard, 28, deverá trocar o Chelsea pelo Real Madrid ao fim da temporada. Isso aumentará o espaço e a responsabilidade de Willian. 

"O Hazard é um jogador que faria falta a qualquer equipe. Mas a responsabilidade que eu tenho vai ser junto com os meus companheiros. É dividida com o grupo também. Eu penso dessa forma", minimiza.

Caso se confirme o adeus do belga, o Chelsea deverá se apressar para renovar o contrato do brasileiro, com fim previsto para julho de 2020. "A gente já iniciou uma conversa e agora é esperar para ver qual decisão o clube vai tomar."

Enquanto aguarda o desfecho da negociação, Willian aproveita a fase especial que vive. "É um momento importante tanto para mim quanto para o clube. Um Dérbi e na final da Liga Europa."

Ele só lamenta não poder enfrentar o colega Henrikh Mkhitaryan. O armênio não pôde viajar com a delegação do Arsenal para o Azerbaijão, que já teve conflito com a Armênia, entre 1988 e 1994. Mesmo com um acordo de cessar-fogo, não há diplomacia entre os países.

"A gente fica imaginando como fica a cabeça do jogador. Trabalhar o ano todo, disputar vários jogos, disputar a semifinal e chegar na decisão, no momento mais importante, que todo mundo está vendo, e não poder jogar por essa questão, é lamentável."  ​

CHELSEA
ARSENAL

16h, no Azerbaijão
Na TV: Fox Sports 

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.