Lyon goleia Barcelona e conquista o hexa na Champions feminina

Foi o 6º título da equipe francesa na decisão do torneio europeu, o 4º consecutivo

São Paulo | UOL

O Lyon segue hegemônico no futebol feminino da Europa. Em partida realizada na cidade de Budapeste, na Hungria, a equipe francesa goleou o Barcelona por 4 a 1 neste sábado (18), placar construído ainda no primeiro tempo, e conquistou hoje (18) o quarto título consecutivo da Champions League, o sexto na história.

A fácil vitória teve fundamental participação da norueguesa Ada Hegerberg. Primeira mulher a conquistar o renomado prêmio Bola de Ouro da revista France Football, desbancando a brasileira Marta (eleita a melhor pela Fifa), a atacante do Lyon anotou três gols e praticamente decidiu a decisão da Champions ainda nos primeiros minutos.

A meia galesa Jess Fishlock sobe nas costas da zagueira francesa Wendie Renard para comemorar a vitória do Lyon na final da Champions League feminina
A meia galesa Jess Fishlock sobe nas costas da zagueira francesa Wendie Renard para comemorar a vitória do Lyon na final da Champions League feminina - Tobias Schwarz/AFP

Hegemônico na Europa desde o início da década, o Lyon não demorou a comprovar a superioridade diante do Barcelona. Aos 5 min, a holandesa Van de Sanden cruzou na medida para a alemã Marozsan se antecipar à goleira Paños e tocar para as redes catalães. O gol logo cedo mudou o panorama da decisão.

A equipe francesa se impôs e tratou de decidir o campeonato ainda na etapa inicial, com participação mais do que decisiva da Bola de Ouro da France Football. Aos 14 min, Van de Sanden achou Hegerberg na área; a norueguesa dominou e bateu de direita para ampliar a vantagem.

Cinco minutos depois, Ada Hegerberg recebeu dentro da área com liberdade e bateu de canhota, firme, para anotar o terceiro. A camisa 14 do Lyon fechou a atuação épica aos 30, quando aproveitou falha da goleira, após cruzamento de Bronze, e tocou de primeira para transformar a vitória em goleada.

A enorme vantagem permitiu ao Lyon diminuir o ritmo e administrar o resultado na segunda etapa. Por outro lado, um combalido Barcelona apostou na entrada da brasileira Andressa Alves no segundo tempo e cresceu de rendimento e diminuiu o placar com Oshoala, aos 44 min.

De resto, no entanto, o Barcelona pouco ameaçou a meta da experiente equipe francesa, agora tetracampeã europeia e hegemônica no cenário europeu do futebol feminino.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.