São Paulo deixa de arrecadar R$ 46 mi com fracassos em mata-mata

Quedas precoces na Libertadores e na Copa do Brasil provocam rombo nos cofres

Luciano Trindade Toni Assis
São Paulo

Os sucessivos fracassos do São Paulo no primeiro semestre deste ano vão provocar um rombo de cerca de R$ 46 milhões na previsão orçamentária do clube. O valor corresponde a premiações e bilheterias que o time do Morumbi estimava receber com a Libertadores e a Copa do Brasil.

Na quarta-feira (29), a equipe do técnico Cuca foi derrotada novamente pelo Bahia, desta vez em Salvador, e deu adeus ao mata-mata nacional ainda nas oitavas de final. Com isso, vai embolsar R$ 2,5 milhões por sua participação nesta fase e mais R$ 655 mil de renda bruta referente ao jogo de ida.

Assim como na Libertadores, o São Paulo estimou que chegaria, ao menos, nas quartas de final da Copa do Brasil. Assim, esperava arrecadar cerca de R$ 8,5 milhões, sendo R$ 5,6 milhões em prêmios e o restante com bilheteria. Embolsou somente R$ 3,1 milhões.

O mata-mata continental deveria gerar uma receita ainda maior. Com premiação, o time do Morumbi previu R$ 25 milhões, valor acumulado entre a fase 2, na qual a equipe estreou, até as quartas. Porém, o clube foi eliminado logo de cara pelo modesto Talleres (ARG) e levou R$ 1,9 milhão pela participação.

No jogo de ida contra os argentinos, o São Paulo teve uma renda bruta em seu estádio de R$ 3 milhões. Tendo este valor com base, o clube poderia ter arrecado R$ 21 milhões com bilheteria se tivesse disputado as sete partidas que previu, até as quartas de final.

Desta forma, somando as estimativas de prêmios e a bilheteria, o time tricolor acreditava que teria R$ 54,6 milhões em seus cofres, mas somou somente R$ 8 milhões, um déficit de R$ 46,6 milhões.

"Nós vamos ter de nos readequar a essa nova realidade. Vamos tentar minimizar esse impacto [do rombo no orçamento]. Nós não contávamos com essa desclassificação", disse à Folha o diretor financeiro Elias Barquete Albarello.

Pato lamenta chance perdida no primeiro jogo entre São Paulo e Bahia pela Copa do Brasil
Pato lamenta chance perdida no primeiro jogo entre São Paulo e Bahia pela Copa do Brasil - Photo Premium/Folhapress

Segundo o cartola, o clube ainda não definiu quais serão as ações para readequar o orçamento. Ele não descarta que o São Paulo tenha de vender jogadores, mas diz que é cedo para falar sobre isso.

"É muito precoce falar em venda de jogadores por causa disso. Nós temos de olhar primeiro para a receita e nós temos outros projetos de receita, ao mesmo tempo já imaginando uma necessidade de gerar recurso para o segundo semestre. É muito novo", afirmou.

Apesar do discurso do diretor financeiro, o time tricolor deverá enxugar o elenco. E quem deu a indicação de que as transformações vão acontecer foi o próprio técnico Cuca.

O São Paulo trabalha atualmente com 31 jogadores em seu elenco. Como o clube tem agora só o Brasileiro até o final do ano, a ideia é enxugar a folha salarial em até R$ 1,5 milhão. A princípio a comissão técnica pensa em trabalhar com 28 atletas no grupo.

Além da avaliação técnica, o que determina também a saída dos jogadores são os altos salários.

A lista de jogadores que deve sair tem Nenê, de 37 anos, Jucilei, 31, Bruno Peres, 29Outro que deve sair é o zagueiro Arboleda, 27. Valorizado no grupo, e com ofertas de clubes da Europa, o atleta deve ser vendido.

Desde que foi contratado, na segunda metade de fevereiro, o treinador Cuca já havia sinalizado uma reformulação. O que freou sua iniciativa foi a boa resposta dos garotos de Cotia durante a campanha do Campeonato Paulista.

Na pauta de contratações para ajustar o elenco, o treinador pede um atacante de área e ainda um lateral direito. 

Com a queda na Copa do Brasil, o São Paulo terá somente a disputa do Campeonato Brasileiro até o fim desta temporada. O clube também tem pretensões otimistas para a competição, pelo menos, segundo a previsão feita em seu orçamento.

"Evidentemente que nós não podemos falar em título, porque todos os clubes falariam isso, então não é o correto. Mas, no mínimo, a gente coloca entre os quatro primeiros colocados", disse Albarello.

Atualmente, o time de Cuca é justamente o quarto colocado da competição e vai enfrentar na próxima rodada o Cruzeiro, no domingo (2), no Morumbi. O time mineiro é o 16º no Nacional.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.