Único jogador na capa de Sgt. Pepper's foi ídolo e goleador do Liverpool

Albert Stubbins foi o artilheiro do clube na primeira liga disputada após a Segunda Guerra

Bruno Rodrigues
São Paulo

Em um 1º de junho como este sábado, mas de 1967, a cidade de Liverpool parou. O motivo, porém, não era o clube de futebol, finalista da atual edição da Champions League, mas sim o lançamento oficial de Sgt. Pepper's Lonely Heart Club Band, o oitavo disco de estúdio dos Beatles.

Em uma das mais famosas capas da história da música, há figuras bastante conhecidas, como Albert Einstein ou Marilyn Monroe, e outras nem tanto, como Bobby Breen, estrela infantil de Hollywood na década de 1930. Entre todas as 58 personalidades, está um jogador de futebol. O único.

Atrás do beatle George Harrison e da atriz Marlene Dietrich, logo abaixo de Karl Marx, aparece o sorridente Albert Stubbins.

Capa do álbum Sgt. Pepper's Lonely Hearts Club Hand, o oitavo disco de estúdio da banda
Capa do álbum Sgt. Pepper's Lonely Hearts Club Hand, o oitavo disco de estúdio da banda - Divulgação

Nascido em 1920 na cidade de Wallsend, nordeste da Inglaterra, Stubbins foi para os Estados Unidos com os pais logo após completar dois anos de idade. Nos EUA, passou parte da infância, antes de retornar ao país natal.

A carreira no futebol começou com um contrato amador no Sunderland, mas foi o principal rival do clube, o Newcastle, que lhe ofereceu a oportunidade de sua vida: tornar-se jogador profissional. Isso foi em abril de 1937.

Quando estourou a Segunda Guerra Mundial, a federação inglesa suspendeu a liga. Os clubes, para não ficarem parados no período, disputavam competições regionais.

Sem a forte concorrência dos principais times do país, que disputavam seus próprios torneios regionalizados, Stubbins brilhou nos campos durante os conflitos.

Em 218 partidas pelo Newcastle, marcou 237 gols, 37 deles na temporada 1945/1946, a última antes da reintegração do Campeonato Inglês ao calendário oficial do futebol.

Albert Stubbins com o uniforme do Liverpool, clube que defendeu nas décadas de 1940 e 1950
Albert Stubbins com o uniforme do Liverpool, clube que defendeu nas décadas de 1940 e 1950 - Reprodução

O desempenho no nordeste chamou a atenção do Liverpool, que o contratou em setembro de 1946 por 13 mil libras, quantia alta para a época.

Na nova casa, formou uma dupla letal no ataque da equipe com Jack Balmer. Ambos terminaram como artilheiros do time na liga com 24 gols cada. Números que ajudaram o Liverpool a conquistar o título da temporada 1946/1947. No jogo que decidiu a taça a favor do time, a vitória por 2 a 1 sobre o Wolverhampton, Stubbins marcou o segundo.

Na temporada seguinte, o corpulento centroavante de 1,80 m e 80 kg manteve o bom desempenho. Fez 24 gols em 36 partidas em uma campanha fraca do Liverpool, que terminou em 11º lugar.

A partir daí, já entrando na casa dos 30 anos de idade, sua carreira entrou em declínio. Ainda jogou mais cinco temporadas no clube de Merseyside, anotando outros 27 gols. Foram 83 no total, em 178 jogos com a camisa vermelha --média de 0,46 por jogo.

Quando deixou o Liverpool, em 1952, chegou a jogar no amador Ashington, equipe que depois treinaria por um breve período. Breve também foi sua passagem como técnicos nos EUA, comandando o New York Americans.

Após pendurar as chuteiras, voltou ao nordeste da Inglaterra, onde se tornou um popular jornalista esportivo.

Os Beatles nunca se notabilizaram pelo envolvimento com o futebol. Paul McCartney, por exemplo, já disse que era torcedor tanto do Everton como do Liverpool. E isso não se faz.

Rivais locais, os dois clubes protagonizam uma das maiores rivalidades do futebol inglês. Seus estádios, inclusive, estão separados por uma caminhada de apenas 1,5 quilômetro pelo Stanley Park.

A teoria mais plausível para a escolha de Stubbins foi a de que a capa, repleta de personalidades de várias áreas, precisava de alguma figura querida em Liverpool. Que fosse, então, o atacante, artilheiro do clube mais vitorioso da cidade em seu primeiro título pós-guerra na Inglaterra.

Albert Stubbins morreu em 28 de dezembro de 2002, aos 82 anos de idade. Com seus gols, entrou para a história do futebol. E da música.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.