Descrição de chapéu Seleção Brasileira

Advogado diz que deixará o caso se Najila não entregar celular

Polícia ainda estuda esquema de segurança para depoimento de Neymar

Carlos Petrocilo
São Paulo

Danilo Garcia de Andrade, advogado da modelo Najila Trindade, que acusa Neymar de agressão e estupro, esteve na 6ª Delegacia de Defesa da Mulher, em São Paulo, na tarde desta segunda-feira (10).

Ele disse para a delegada Juliana Lopes Bussacos que deixará o caso se a sua cliente não entregar celular ou tablet com um vídeo de sete minutos até a meia-noite. Quando Bussacos deixou a DDM, às 20h30, o celular ainda não havia sido entregue.

A mulher registrou boletim de ocorrência, no último dia 31, acusando o jogador de estuprá-la no dia 15 de maio em um hotel em Paris. Ela afirmou ter imagens que comprovariam isso em seu tablet.

“Vim informar à delegada que eu não tenho o celular, nem o tablet. Ela [Najila] tem até meia-noite de hoje para entregar à delegada ou para mim. Eu me comprometi a trazer. Se não fizer isso até meia noite, eu deixo o caso. Não tem como defender uma pessoa que não entrega suas provas”, disse Andrade.

O suposto vídeo estaria em um tablet. No mesmo depoimento, a modelo disse que foi informada pelo ex-companheiro, Estivens Alves, sobre o desaparecimento do seu aparelho.

Alves disse à Folha, na manhã desta segunda, que esteve no prédio para recolher seus pertences e do filho do casal, mas não confirmou se houve sumiço de objetos. “Eu apenas retirei o que é meu, do meu filho”, disse Alves.

O advogado Roberto Guastelli, contratado por Alves, foi à delegacia nesta tarde informar que o seu cliente foi ao apartamento retirar apenas um tablet de seu filho e que entregou no 11º Distrito Policial, em Santo Amaro, um vídeo dele enquanto esteve no local.

"Segundo o Estivens, o tablet da Najila é um rosa, e ele apenas retirou um tablet do filho, roupas e alguns pertences. Como tem sido veiculado que ele teria levado o tablet da Najila, ele está se defendendo das acusações. Ele vai prestar depoimento na quarta-feira", diz Guastelli.

Também nesta segunda (10), um porteiro do prédio onde Najila mora registrou boletim de ocorrência. Ele diz que passou a sofrer ameaças dela após o suposto sumiço do aparelho.

A gravação de sete minutos seria a íntegra de um trecho de pouco mais de um minuto, que vazou na última quarta-feira e mostra uma briga entre ela e o jogador no hotel. Em entrevista ao SBT na última quarta, a modelo diz que atraiu Neymar para filmá-lo no segundo encontro e comprovar que havia sido estuprada e agredida pelo atacante no dia anterior (15 de maio).

Em seu celular, que é aguardado pela polícia, a modelo também diz que há fotos e prints de conversas com Neymar e com uma amiga, com quem teria conversado sobre o que ocorreu entre ela e o jogador em um quarto de hotel em Paris.

Danilo é o primeiro advogado que se apresentou à delegada Bussacos. Antes dele, a modelo contratou José Edgard da Cunha Bueno Filho que, em vez de procurar a polícia, sugeriu buscar um acordo diretamente com Neymar.

O advogado Danilo Garcia de Andrade carrega a modelo Najila Trindade de Souza após ela passar mal durante depoimento à Polícia Civil em São Paulo
O advogado Danilo Garcia de Andrade carrega a modelo Najila Trindade de Souza após ela passar mal durante depoimento à Polícia Civil em São Paulo - Amanda Perobelli/Reuters

Polícia estuda esquema de segurança para depoimento de Neymar

A Polícia Civil de São Paulo ainda estuda data e local para a delegada Juliana Lopes Bussacos colher o depoimento de Neymar até o final desta semana. Na manhã desta segunda (10), Maíra Fernandes, advogada de Neymar, esteve na delegacia e ficou por lá durante duas horas.

A preocupação é com a infraestrutura e o reforço da segurança diante da visita do atacante do PSG.

Bussacos disse, no começo desta noite, que ainda não agendou o depoimento do atacante. Em tese, na condição de acusado, Neymar deverá ser o último a depor.

Agentes da Policia Civil passaram no fim da manhã pelo local, fazendo fotos e vídeos e estudando qual será a melhor forma de garantir a segurança do atleta, de fãs e jornalistas.

Se o depoimento for marcado para o prédio em Santo Amaro, zona sul da cidade, uma das possibilidades é interditar pelo menos um quarteirão da rua Padre José de Anchieta.

Para o depoimento de Najila, na sexta (7), cerca de 30 agentes, entre eles integrantes do GOE (Grupo de Operações Especiais), fizeram a segurança no local. Um corredor foi realizado por policiais diante da única porta de acesso à DDM, um prédio de três andares.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.