CBF abre mão de R$ 8 milhões da multa rescisória de Edu Gaspar

Coordenador da seleção vai anunciar ida ao Arsenal após a Copa América

São Paulo

​​Com acordo verbal fechado para assumir um cargo na direção do Arsenal após a Copa América, Edu Gaspar não terá de pagar uma multa à CBF (Confederação Brasileira de Futebol). Atual coordenador de seleções da entidade, ele será liberado ao clube inglês sem a necessidade de bancar o dinheiro estipulado em contrato para rescisão unilateral.

Esse valor é de R$ 8 milhões. Mas o presidente da CBF, Rogério Caboclo, já deixou claro que não fará a cobrança. A política é a mesma adotada na saída de Sylvinho, que era auxiliar técnico de Tite e acertou um contrato para se tornar o técnico do Lyon, da França, pouco antes do início da preparação da equipe nacional para a Copa América.

Edu Gaspar durante coletiva de imprensa na Granja Comary. - Pedro Martins / MoWA Press

O assunto não é tratado oficialmente, porque Edu prefere não confirmar sua saída neste momento. O coordenador, que chegou à seleção junto com o técnico Tite e tem compromisso assinado até 2022, afirma estar totalmente concentrado em seu trabalho na busca da seleção pelo título sul-americano e que só tomará uma decisão após o torneio.

Todos já dão, porém, a saída como certa, e a CBF trabalha para substituir o dirigente. Juninho Paulista assumiu em abril um cargo na entidade, tem frequentado o ambiente do time verde-amarelo e aparece como um dos candidatos.

A ideia é que o novo coordenador trabalhe mesmo com Tite, já que não está nos planos de Caboclo trocar o comando técnico. Os principais cartolas da confederação insistem que o gaúcho será mantido à frente da equipe independentemente do resultado obtido na Copa América.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.