Acusação, lesão e corte marcam 13 dias de Neymar na seleção

Após período turbulento, atacante do PSG está fora da Copa América

Diego Garcia Camila Mattoso
Rio de Janeiro e Brasília

Na manhã desta quinta-feira (6), Neymar deixou o hotel da seleção brasileira em Brasília. O atacante entrou em uma van, acompanhado de seu pai, e não falou com a imprensa. A saída do hotel marcou o fim da tumultuada passagem do jogador pela equipe para a preparação da Copa América.

O atacante foi cortado na madrugada de quinta após sofrer uma ruptura ligamentar no tornozelo direito durante a partida contra o Qatar, em Brasília. A saída foi o desfecho de 13 dias turbulentos para o jogador do PSG na seleção.

No período, Neymar até recebeu apoio de torcedores brasileiros, como no amistoso desta quarta (5), mas o número de reveses foi bem maior e contemplou desde a perda da braçadeira de capitão a uma acusação de estupro em Paris, que lhe rendeu duas investigações no Brasil.

Uma delas é pela suposta violência sexual, e a outra, por crime de informática. Ao se defender da primeira, ele expôs conversas com a denunciante. Nelas, foram exibidas imagens da mulher nua e seminua –com o rosto e partes íntimas borradas.

Chegada pelos ares

Neymar se juntou à seleção brasileira no dia 25 de maio, com três dias de antecedência do que estava inicialmente previsto. Chegou de helicóptero à Granja Comary, em Teresópolis.

O adiantamento não estava previsto pelo PSG, clube do atacante. O técnico da equipe, Thomas Tuchel, disse não ter sido avisado da liberação, que só foi informada à direção do time francês.

 

Sem faixa

O atacante desembarcou no CT da CBF sob desconfiança. Isso porque ele havia agredido um torcedor depois de derrota do PSG contra o Rennes, na final da Copa da França, no dia 27 de abril. A expectativa era se, após o incidente, Tite iria lhe tirar a faixa de capitão da seleção.

No domingo, 26 de maio, o atleta foi informado pelo treinador da perda da braçadeira, conquistada logo depois do revés da equipe na Copa do Mundo da Rússia. Neymar evitou comentar o fato e não deu entrevistas desde então. O amigo Daniel Alves herdou o posto na equipe.

Susto

Três dias depois, em 29 de maio, Neymar treinava normalmente com a seleção brasileira quando deu o primeiro susto: sentiu dores no joelho esquerdo e deixou a atividade. Antes disso, havia levado uma bola por entre as pernas de Weverton, lateral de 19 anos do Cruzeiro convidado para completar os treinos da seleção principal.

Acusado

Já recuperado do susto no joelho, Neymar estava de folga no dia 1º de junho quando veio à tona uma denúncia. Uma mulher registrara boletim de ocorrência em São Paulo o acusando de estupro em Paris, no dia 15 de maio.

O caso se tornou público e tumultuou o ambiente da seleção brasileira. No mesmo dia, em resposta, Neymar postou um vídeo em seu perfil no Instagram para se defender da acusação.

No vídeo de sete minutos, o jogador divulgou imagens íntimas da mulher que o acusa, na época ainda desconhecida. No fim da gravação, ele expôs também o nome da denunciante e de seu filho de cinco anos.

Cobrança dos patrocinadores

Com a divulgação do caso, os patrocinadores de Neymar cobraram os assessores do atleta. Na segunda (3), a Nike divulgou comunicado em que se dizia estar "profundamente preocupada" com as acusações. A Mastercard seguiu o mesmo caminho e, inclusive, interrompeu campanha publicitária que estava prevista com o jogador durante a Copa América. A Red Bull e a EA Sports também cobraram os representantes do atleta por uma posição.

Apoio em Brasília

Em meio ao turbilhão, Neymar ganhou o apoio dos torcedores brasileiros que o aguardavam na chegada da seleção em Brasília, na terça (4). O atleta foi o mais ovacionado no desembarque. O carinho continuou enquanto ele esteve em campo durante o amistoso contra o Qatar. Cada toque na bola do jogador resultava em aplausos e gritos.

“Quero dar um abraço no Neymar antes do jogo. É um garoto que está num momento difícil, mas eu acredito nele”, afirmou o presidente ao fim de uma cerimônia em Aragarças (GO), na divisa com Mato Grosso.

Vídeos e denúncia

Na noite de quarta (5), antes da partida do Brasil contra o Qatar, o SBT divulgou uma entrevista da modelo Najila Trindade, que acusou o atacante de estupro e agressão. Segundo a denúncia dela, a agressão sexual começou após ele ter se recusado a utilizar preservativo.

"Eu fui vítima de estupro. Agressão juntamente com estupro", disse.

Najila diz ter alertado Neymar que não queria ser penetrada, já que ele estava sem preservativo. Ela afirmou que o atleta da seleção brasileira a agrediu e ignorou seus apelos.

Nesta quarta, também circulou em redes sociais um vídeo do dia seguinte ao suposto abuso, com confronto físico entre o atleta e a modelo.

Saída de muleta

Titular da seleção, Neymar foi entrou em campo para enfrentar o Qatar, em Brasília. Jogou por menos de 20 minutos. Sentiu o tornozelo e deixou o gramado. Os médicos da CBF constataram uma lesão no tornozelo. Na madrugada de quarta, a confederação informou o corte do atacante. 

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.