Finalista de Roland Garros chegou a trocar tênis por críquete

Ashleigh Barty, 23, enfrentará a tcheca Marketa Vondrousova, 19, na decisão

São Paulo

A final da chave feminina de Roland Garros, marcada para as 10h (de Brasília) deste sábado (8), é possivelmente a decisão de Grand Slam mais surpreendente desde que as italianas Flavia Penetta e Roberta Vinci duelaram no US Open em 2015.

Naquele ano, elas superarem nas semifinais as cabeças de chave 1 e 2, a americana Serena Williams e a romena Simona Halep, respectivamente.

Neste sábado, a australiana Ashleigh Barty, 23 anos e oitava colocada do ranking, enfrentará a tcheca Marketa Vondrousova. A jovem de 19 anos está na 38ª posição. Os canais Band e BandSports transmitem.

Barty chegou a ser campeã juvenil de Wimbledon com 15 anos e se profissionalizou cedo, mas tão logo decidiu dar um tempo na carreira. Seu afastamento durou de setembro de 2014 a fevereiro de 2016.

Ashleigh Barty rebate uma bola na vitória sobre Amanda Anisimova, pela semifinal
Ashleigh Barty rebate uma bola na vitória sobre Amanda Anisimova, pela semifinal - Philippe Lopez/AFP

"Eu amo o tênis, mas ele tornou-se robótico para mim, e isso não é o que eu queria", ela justificou na época. "É um esporte tão incrível e eu realmente queria me divertir, mas perdi esse prazer e essa paixão".

No período em que ficou longe das quadras, Barty chegou a se arriscar no críquete e defendeu dois times em competições na Austrália.

Cerca de um ano após ter voltado ao tênis profissional, ela já estava no top 100. Ainda levou algum tempo para chegar entre as dez melhores do mundo, o que aconteceu em abril deste ano, após vencer o torneio de Miami, o mais importante dos quatro troféus que já levantou.

Tenista que se destaca pela variedade dos seus golpes, Barty eliminou nesta sexta a adolescente americana Amanda Anisimova, 17, sensação do torneio, por 2 sets a 1.

Já Vondrousova, que vinha numa ascensão gradual na carreira, nunca havia passado das oitavas de final de um Grand Slam até então. Sem ser uma das 32 cabeças de chave, ela enfrentou quatro tenistas com ranking melhor que o seu e ainda não perdeu nenhum set nesta edição de Roland Garros. Nesta sexta, a tcheca bateu a britânica Johanna Konta, 28.

A final masculina, inicialmente marcada para domingo (9), mas que corre riscos de ser adiada caso se confirme a previsão de chuva para o dia, tem por enquanto um tenista garantido.

Rafael Nadal, 33, buscará o seu 12º título no saibro de Paris após derrotar o suíço Roger Federer, 37, nesta sexta (7), por 3 sets a 0. A partida foi marcada por uma fonte ventania na capital francesa, que impediu os jogadores de exibirem suas melhores performances.

Na outra semifinal, Novak Djokovic e Dominic Thiem tiveram o jogo interrompido pela chuva quando o austríaco liderava o terceiro set por 3 games a 1 —em sets, o jogo estava empatado em 1 a 1.

Eles concluirão a partida neste sábado, às 7h (de Brasília), antes da final feminina. A decisão de suspender o jogo até o dia seguinte causou polêmica, já que o clima melhorou algum tempo depois da segunda interrupção e ainda havia luz natural para retomar a partida nesta sexta.

Thiem, 25, finalista de Roland Garros no ano passado, busca seu primeiro título de Grand Slam. Já Djokovic, 32, tenta ganhar seu quarto torneio desse nível de forma consecutiva e repetir um feito que ele já alcançou entre 2015 e 2016.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.