Jesus inverte lógica da Copa e, reserva, pressiona Tite por vaga

Técnico deve começar Copa América com Firmino no ataque

Marcos Guedes
São Paulo

Gabriel Jesus fez uma Copa do Mundo ruim em 2018, tornando-se o primeiro camisa 9 do Brasil a terminar a competição sem fazer um gol desde 1974. Tite insistiu nele até a eliminação nas quartas de final, contra a Bélgica, e admitiu que o aprendizado que ficou da disputa na Rússia foi: em um torneio curto, não se deve esperar para fazer as substituições necessárias.

O centroavante Gabriel Jesus comemora um de seus gols na vitória sobre Honduras
O centroavante Gabriel Jesus comemora um de seus gols na vitória sobre Honduras - Diego Vara/Reuters

Agora, às vésperas da Copa América, a situação do atacante é a oposta da observada há um ano. O atleta de 22 anos começou a preparação como reserva de Roberto Firmino, 27, mas chega ao campeonato em um bom momento técnico, pressionando por uma vaga entre os titulares.

“Fico muito feliz com a ascensão do Gabriel, com a retomada de confiança dele. A precisão na finalização começa a entrar mais, aparece o sorriso. Ele está animicamente bem. É um jogador novo, que ainda está evoluindo”, disse o treinador, antes de deixar claro que “outro atleta vem com a titularidade, pelo grande desempenho que teve”.

Jesus atuou como titular nos amistosos preparatórios contra Qatar e Honduras porque o dono da posição demorou a se apresentar. Firmino estava envolvido na final da Liga dos Campeões, disputada no último dia 1o, e só teve condições de atuar no segundo tempo do segundo jogo, deixando sua marca.

Na ausência do concorrente, o paulistano se saiu bem e marcou três gols nas duas partidas da semana passada. Com os dois tentos anotados na vitória sobre a República Tcheca, em março, ele tem cinco bolas na rede nos três últimos compromissos da seleção – o que não lhe faz, porém, exigir vaga entre os 11.

“O Firmino veio ganhando espaço, fazendo por merecer. Sou muito consciente disso, do momento dele. Estou aqui para ajudar no que for. Quando o Firmino jogar ou quando eu tiver oportunidade, acredito que os dois vão dar conta do recado”, afirmou Jesus.

A vantagem dele em relação a Firmino na Copa do Mundo é que a rédea de Tite com os titulares passou a ser mais curta. Se perceber que o dono da posição não está se saindo bem – como ocorreu com Jesus no último Mundial –, o treinador promete tirá-lo do time – como não ocorreu com Jesus na Rússia.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.