Descrição de chapéu Copa América

Jogo da Copa América no Mineirão tem mais não-pagantes do que pagantes

Mais de 7 mil ingressos foram distribuídos para confronto entre Venezuela e Bolívia

Fernanda Canofre
Belo Horizonte

​A vitória da Venezuela contra a Bolívia por 3 a 1 no Mineirão registrou o menor público até aqui de uma Copa América que tem chamado a atenção por estádios vazios. 

O número de público não-pagante superou o de pagantes, fato raro no futebol. Do total de 11.746 pessoas no estádio, 7.106 entraram com ingressos doados. Outras 4.640 pagaram. A renda total da partida foi de R$ 631.605. 

O Mineirão tem capacidade para 61.927 lugares -o que significa que cerca de 50 mil lugares ficaram vazios neste sábado. A taxa de ocupação chegou a cerca de 19%.

Darwin Machis comemora o primeiro gol da Venezuela contra a Bolívia no Mineirão com pequeno público
Darwin Machis comemora o primeiro gol da Venezuela contra a Bolívia no Mineirão com pequeno público - Edgard Garrido/Reuters

O movimento Gentileza, que tem apoio da Prefeitura de Belo Horizonte, recebeu 1.100 entradas. Também foram doados ingressos a entidades sociais e escolinhas de futebol - uma delas, com as categorias de base do Brumadinho Futebol Clube. O rompimento da barragem da Vale na cidade deixou 246 mortos e 24 pessoas seguem desaparecidas. 

O público mais baixo desta Copa América até então havia sido registrado na estreia de Peru e Venezuela, na Arena do Grêmio, em Porto Alegre, com 13.370 pessoas, sendo 11.107 pagantes. 

Não foi número muito maior do que o primeiro jogo da Copa América disputado em Belo Horizonte, entre Uruguai e Equador: 13.611 pagantes. O público total não foi divulgado. A renda foi de R$ 1.534.535. 

Em comparação, o jogo entre Argentina e Paraguai, na quarta-feira (19), também no Mineirão, teve público pagante de 35.265 e não-pagante de 2.733. A renda ficou dez vezes acima da registrada neste sábado: R$ 6.718.730.

O número de espectadores é quase metade do que Cruzeiro tem garantido em 2019: 21.052 torcedores pagantes em média. Já o Atlético-MG tem média em casa de 19.314 pessoas em 21 partidas. 

”Difícil para o povo brasileiro, que está em crise. Eles tinham que ter pensado melhor para ter uma festa com estádios lotados, mas já aconteceu, já passou. Agora podem repensar para a próxima, para ajudar também quem gosta de futebol”, disse à Folha o atacante Marcelo Moreno, ex-jogador do Cruzeiro.

Com a vitória sobre a Bolívia e a goleada do Brasil em cima do Peru, a Venezuela conseguiu passar como segunda colocada no grupo, com cinco pontos, “sem depender de terceiros”, como disse em coletiva o técnico Rafael Dudamel.

A seleção “vinotinto” espera agora a definição de outras chaves para saber quem será seu adversário nas quartas-de-final.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.