Descrição de chapéu Copa do Mundo Feminina

Seleção brasileira enfrenta França nas oitavas da Copa do Mundo

A decisão contra as anfitriãs e favoritas ao título será no domingo (23)

Paris

A seleção brasileira enfrentará a França neste domingo (23), às 21h (16h em Brasília), no Havre (noroeste francês), pelas oitavas de final da Copa.

O adversário só foi definido nesta quinta (20), dois dias depois da vitória da equipe brasileira sobre a Itália, em seu último jogo pela fase de grupos.

Como o Brasil ficou em terceiro lugar em sua chave (C), com seis pontos, era preciso esperar confrontos que definiriam os outros terceiros colocados classificados –só os 4 melhores (de um total de 6 grupos) passaram.

Eugénie Le Sommer, que joga no Lyon, é a principal estrela da seleção frances. Stephane Mahe/Reuters - REUTERS

Os outros classificados são Nigéria (grupo A; 3 pontos), China (B; 4 pontos) e Camarões (E; 3 pontos).

 A única combinação possível para que as brasileiras não enfrentassem as francesas incluía a qualificação, para o mata-mata, do terceiro colocado da chave F. Se esse cenário se concretizasse, as adversárias seriam as alemãs, líderes da B.

Porém, no duelo decisivo do Grupo F, o Chile venceu a Tailândia por 2 a 0, acumulando 3 pontos. Os dois gols (seus primeiros no Mundial) não foram suficientes, entretanto, para desbancar o saldo da Nigéria (-3 para as sul-americanas, -2 para as africanas).

Quartas colocadas no ranking da Fifa, as adversárias do Brasil nas oitavas estrearam na competição diante de um público recorde (no estádio Parc des Princes, em Paris, e na televisão francesa) e com uma vitória convincente sobre a Coreia do Sul (4 a 0). Mas o ímpeto inicial foi arrefecendo. O triunfo contra a Noruega (2 a 1), na segunda rodada, veio bem mais suado.

Na última aparição da fase de grupos, contra a inexpressiva Nigéria (apenas 38º na classificação mundial), as francesas arrancaram um gol solitário nos minutos finais, e de pênalti que a árbitra mandou repetir –na primeira tentativa, não havia sido convertido.

As brasileiras acumulam dois triunfos (contra Jamaica e a líder de seu grupo, Itália) e uma derrota, de virada, para a Austrália.

A estrela da seleção tricolor é a atacante Eugénie Le Sommer, que defende o Lyon, detentor de seis títulos da Liga dos Campeões (incluindo 4 consecutivos, desde 2016). Com 76 gols pela equipe nacional, ela é a segunda maior artilheira da história francesa.

Quem vencer o embate de domingo deve ter pela frente nas quartas a temida seleção dos EUA, líder do ranking da Fifa e tricampeã do torneio. As americanas, que chegaram à França aplicando a maior goleada já vista em Mundiais (masculinos ou femininos), os 13 a 0 sobre a Tailândia, encaram as espanholas, na segunda (24).

A título de comparação, a Austrália, que desbancou o Brasil do segundo lugar na chave C pelo saldo de gols, enfrenta a Noruega (12ª do mundo) e, em caso de triunfo, o vencedor de Inglaterra (3ª) e Camarões.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.