Sem Casemiro e Fernandinho, Tite escala Allan contra o Paraguai

Suspensão e lesão fazem treinador optar por volante do Napoli no time titular

Marcos Guedes
Porto Alegre

Tite anunciou, logo após a vitória sobre o Peru, no último sábado (22), que Fernandinho seria o substituto do suspenso Casemiro nas quartas de final da Copa América, desde que ele reunisse boas condições de jogo.

Esse parâmetro não foi alcançado, segundo o treinador, e o titular contra o Paraguai, nesta quinta (27), na Arena do Grêmio, será outro.

“Quem vai jogar é o Allan. O Fernandinho está fora do jogo. Se nós jogarmos e vencermos, provavelmente ele estará pronto para o outro jogo. Eu disse que o Fernandinho jogaria estando em condições normais e naturais. Não está”, explicou o comandante.

Allan é observado por Tite durante amistoso do Brasil antes da Copa América
Allan é observado por Tite durante amistoso do Brasil antes da Copa América - Diego Vara - 9.jun.19/Reuters

Fernandinho, 34, convive desde a semana passada com um problema no joelho direito. Ele não ficou nem no banco contra o Peru, mas trabalhou com o grupo nos dias subsequentes e alimentou a esperança de que pudesse atuar em Porto Alegre, algo que não se concretizou.

Assim, Tite colocará Allan, 28, como cabeça de área. Não era o plano no momento da convocação, já que o carioca era visto como um reserva para Arthur, não para Casemiro. Mas ele atuou como primeiro volante na última temporada do futebol italiano e voltará a exercer essa função.

“No Napoli, com o [Carlo] Ancelotti, ele faz essa função, forma uma dupla com o Hamsik. Ele faz um jogador mais posicional e deixa o Hamsik sair. O Hamsik está para o Napoli como o Arthur está para a seleção. Então, o Allan dá uma liberdade maior para o Arthur chegar”, disse Tite.

Dessa forma, o técnico abrirá mão daquela que considera uma das melhores características de Allan, sua capacidade de transitar em velocidade entre a área de defesa e a de ataque. O jogador terá de se segurar para proteger a defesa, algo que o chefe o considera capaz de fazer.

Se ele tiver sucesso na tarefa, aumentarão as chances de o Brasil não ampliar um número curioso. Desde que Tite assumiu a seleção, em 2016, houve apenas duas derrotas, contra Argentina e Bélgica. Nas duas partidas, o time não contou com Casemiro.

“É o grande desafio de mudar essa estatística”, sorriu Tite, que dispensou o mistério e confirmou seu time com a seguinte escalação para as quartas de final: Alisson; Daniel Alves, Marquinhos, Thiago Silva e Filipe Luís; Allan, Arthur e Philippe Coutinho; Gabriel Jesus, Roberto Firmino e Everton.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.