Descrição de chapéu Copa América

Técnico do Japão diz que Kubo pode ser titular contra Equador

Equipes fazem confronto que pode definir adversário do Brasil nas quartas de final da Copa América

Fernanda Canofre
Belo Horizonte

O técnico do Japão, Hajime Moriyasu, disse que o meia Takefusa Kubo pode começar o jogo como titular contra o Equador nesta segunda-feira (24), no Mineirão, pela Copa América. A decisão depende do que for apresentado no último treino da equipe, neste domingo. 

Kubo, 18, acertou sua transferência do FC Tokyo para o time B do Real Madrid. Ele começou a jogar, aos 9, na base do Barcelona, mas aos 13 voltou ao Japão. Para o técnico da seleção, Kubo já mostrou que tem o que precisa para ser titular. 

O jogador Takefusa Kubo durante treino da seleção japonesa na sexta (21)
O jogador Takefusa Kubo durante treino da seleção japonesa na sexta (21) - Douglas Magno - 21.jun.19/France Presse

As duas seleções foram goleadas por 4 a 0 nos jogos de estreia —Equador contra Uruguai, e Japão contra Chile. Amanhã, dependem do resultado do último jogo da primeira fase para conseguir uma classificação. 

O técnico japonês disse que pretende usar como base para a escalação o time que empatou contra o Uruguai, no jogo em Porto Alegre, na quinta-feira (20). Kubo substituiu Koji Miyoshi, autor dos dois gols japoneses. 

Com o saldo de gols negativo, além da vitória, o Japão diz que pretende jogar na retranca para evitar qualquer gol do Equador. 

Moriyasu também falou sobre o fato de a seleção japonesa ter vindo com a base da seleção olímpica para a Copa América. Segundo ele, os clubes não liberaram jogadores da seleção principal. 

“Considerando o que tem a seleção japonesa, talvez não tenhamos a equipe mais forte que poderíamos apresentar. Mas considerando a opinião do técnico, são os melhores que pudermos trazer”, disse ele. 

Questionado sobre as críticas de alguns treinadores sul-americanos, como os técnicos de Venezuela e Paraguai, sobre ter seleções de fora do continente disputando a competição, Moriyasu disse que para ele era “novidade”. Este ano, além do Japão, Qatar também está na disputa.

O técnico japonês se limitou a dizer que seus jogadores e a equipe técnica já estão se preparando há algum tempo para o campeonato no Brasil. 

Sobre o Equador, o japonês disse que é um time de alta capacidade de adaptação. Na avaliação do técnico Hernán Darío Gómez, o Equador jogou mal contra o Uruguai, mas conseguiu se recuperar contra o Chile, apesar da derrota de 2 a 1.

Darío Goméz avalia que erros como os gols de bola parada, marcados pelo Uruguai e pelos chilenos, não podem voltar a ocorrer. 

“São distrações, são jogadas individuais, não é uma questão de confiança. É questão de trabalho”, afirmou ele. 

O técnico também falou várias vezes sobre recuperar o ânimo do time. Neste domingo, o jogador Renato Ibarra deixou o grupo em Belo Horizonte. A imprensa equatoriana chegou a noticiar que ele havia sofrido uma lesão, o que não foi confirmado por exames. Sem entrar em detalhes, o técnico disse apenas que ele deixou a seleção. O irmão dele, Romário Ibarra, segue no time.

O Equador também não terá nesta segunda Gabriel Achilier, que cumpre expulsão –ele foi capitão do time no primeiro jogo. Ainda não se sabe quem será seu substituto na zaga. 

Do jogo entre Japão e Equador pode sair o adversário do Brasil nas quartas de final. Os times se enfrentam nesta segunda, às 20h, no Mineirão.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.